Convite a quem nos visita

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Uma vergonha de política

Um espectáculo triste e sem nome tudo o que se passa na «nossa» Assembleia Legislativa Regional. Todos devemos ter compaixão - para não dizer pena - destes «senhores» eleitos com os nossos votos e pagos com os nossos impostos.
Algumas questões: Para onde vamos? Que exemplo estão a dar os «nossos legítimos representantes» às gerações mais novas? Que democracia é esta que não respeita e que não se dá ao respeito? Que imagem de sociedade estamos a transmitir lá fora? Agora a chacota dita a ordem? A Assembleia Legislativa Regional ao invés de trabalhar a favor do povo que a elegeu, passa a vida a divertir-se, como se estivesse num circo onde a palhaçada, o desreipeito e a risada geral são a regra diária? Chega... Dizemos nós que amamos a democracia e fazemos do respeito um valor absoluto.
A nossa imagem está abaixo do desejado. Os «senhores» deputados da Região Autonoma da Madeira, não sabem ou não têm consciência que lá fora somos todos metidos no mesmo saco. Todos os madeirenses ficam lesados e fora da região são motivo de gozo e vistos como palhaços. Não merecemos isto. A Madeira não merece esta vergonha de política que em vez de nos ajudar e fazer da nossa terra um lugar de paz ou um espaço de verdadeira democracia, torna-se num circo constante pouco divertido. Alguns desta política, sujeitam-nos a um espectáculo triste, a uma vergonha incontronável.
Estes «senhores» que mancham a imagem de todos nós através de atitudes que roçam a infantilidade, não servem para representar ninguém, nem a eles próprios. São irresponsáveis, porque destroem a imagem da dignidade, seriedade e zelo no trabalho que os madeirenses gozam por todo o lado. Estes mesmos fazem abater a imagem sobre a Madeira construída com balúrdios de euros que o governo investe cá e além fronteiras para atrair mais turismo para a Madeira. Assim, lembre-se - dinheiro dos nossos impostos, que estes «senhores» aprovaram e legitimaram com a sua consequente aprovação.
Outro aspecto prende-se com o exemplo antidemocrático que estes «senhores» deixam passam para a praça pública. Não têm consciência que devem ser exemplo para as gerações mais novas? Não sabem que devem ser exímios cumpridores da prática do respeito em relação aos adversários? - Assim, nada se pode exigir aos alunos que nas escolas agridem os professores com palavras obsenas e com actos violentos que chegam algumas vezes a vias de facto.
Por fim, esperemos que o bom senso prevaleça e que a linguagem se modere. As palhaçadas devem acabar e todo o respeito deve ser bem assumido por todos, para que não tenhamos uma sociedade tão agressiva e tão desbocada quando fala ou critica. É tempo de nos tronarmos adultos respeitosos e democratas convíctos para que as gerações futuras se sintam agradecidas pelo belo exemplo que lhes deixamos no que diz respeito à boa convivência em sociedade.

Sem comentários: