Convite a quem nos visita

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Terá sentido o sofrimento?

- É óbvio que o sofrimento nunca tem sentido. Porém, o sofrimento pode ser uma mediação de salvação e possibilidade de encontro ou reencontro para a descoberta do sentido da plenitude da vida. O sofrimento é apenas um momento da vida. Se tivesse sentido seria uma coisa agradável, todos gostariam de sofrer. A religião cristã, ensinará que o sofrimento não tem sentido nenhum, é apenas um momento da existência ou uma circunstância da vida à qual estamos todos sujeitos, mas é sempre apenas uma ocasião, uma passagem para uma outra realidade que se deve crer de glória e de eternidade. No entanto, descobrimos na tradição cristã sinais curiosos relacionados com os santos, onde a dimensão do sofrimento humano mais parece ser amada do que repudiada. Eles manifestam uma alegre loucura pelo sofrimento, como sinal de comunhão com o sofrimento de Cristo. São Paulo foi o primeiro a manifestar essa comunhão espiritual com Cristo sofredor: “Trago no meu corpo as marcas (estigmas) de Jesus” Gál. 6,17). Outros casos muito antigos revelam-nos essa comunhão apaixonada ao sofrimento de Jesus Cristo. A santidade de São Francisco de Assis levou a Igreja a admitir a respeitabilidade por este fenómeno. Com efeito, haverá alguém mais cómico, mais amigo da vida, da natureza, mais amante da alegria que o Poverello? Haverá alguém que se assemelhe mais a Jesus? Em nenhum santo descobrimos o sofrimento como uma derrota final irreversível, mas como sinal de comunhão com Cristo sofredor e como caminho para a alegria da glória da ressurreição. Com esta luz, vamos inicar o tempo da Quaresma, numa imposição de Cinzas, que só fazem sentido, mediante a esperança de um futuro feliz.

2 comentários:

Jose Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Num mundo onde, hoje, já se discute a quebra do sofrimento físico, mais precisamente a doença, como é o caso da eutanásia, penso que neste tempo de Quaresma é bom dar um sinal positivo às nossas crises existencialistas, vendo nelas não o Deus Sofredor, mas a razão pela qual a nossa vida também passa por aí. Porque não somosnem deplástico, nem de cartão. Somos de carne e espírito. Por conseguinte, de alegrias e tristezas.Nada de máscaras! A vida é assim e terá um fim final.

Anónimo disse...

Discordo do querido irmão que nos diz que o sofrimento nao tem sentido para o cristão. Senão o sofrimento de Cristo também teria sido sem significado. Ele sofreu e 'tomou sobre Si nossas dores' exatamente para que o sofrimento humano tivesse um sentido:redenção. Creio que Deus nao quer nosso sofrimento, mas como ele é parte de nossa realidade, e sempre será até que Ele venha, unimos a nossa cruz a de Cristo para assim sermos co-redentores, como Ele quer. Nada na vida do cristao pode ser vivido sem sentido, pois o Cristo dá sentido a tudo na nossa vida, já que Ele a viveu e a santificou em todos os âmbitos, exceto no pecado. Um grande e fraterno abraço, Márcia- BH-MG