Convite a quem nos visita

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Porque choram as crianças…

Nesta manhã de Segunda-feira (22-06-2009), iniciei o dia com a celebração da Eucaristia numa escola, numa sala repleta de crianças, com idades que vão da pré-escola à quarta classe de escolaridade. Esta celebração, realizou-se com grande festa e com muita alegria, como deve ser sempre no meio das crianças. Todos os mais velhos queriam participar nas coisas da missa, por isso, à volta do altar, improvisado, estava cheio de crianças que cantavam e sorriam. Um momento lindíssimo de celebração e de festa.
Proclamou-se um texto do livro do Êxodo, onde Deus apresenta os seus preceitos e princípios, para que toda a humanidade possa ser feliz. Do Evangelho, proclamamos o episódio daquele chefe que tem em casa a sua filha morta e vem ao encontro de Jesus com a certeza que Ele pode fazer com que a menina viva. Jesus segue aquele pai angustiado até à sua casa, ao chegar, Jesus diz: «Porque choram? A menina não morreu apenas dorme». Riram-se dele. Jesus pega na mão da menina levanta-a e diz que lhe devem dar de comer, porque, afinal, o seu mal, é fome.
A reflexão consistiu em dizer que precisamos de princípios na nossa casa, no trânsito, na escola e em todos os lugares da vida para seremos felizes, depois, apresentamos Jesus que vem ao nosso encontro, entra na casa do nosso coração e levanta-nos sempre para a vida. Não nos quer mortos, mas vivos, alegres e em festa. A vida que Jesus nos dá, é sempre uma vida muito grande e completa, a vida eterna. Tudo isto é feito com um diálogo muito grande com as crianças, são elas que tiram as conclusões.
No fim, os professores apresentaram um conjunto de fotos de uma professora, a Paula Borges que morreu recentemente, todos gostavam dela. Como me chamou a atenção o silêncio que fizeram as crianças neste momento. A Seguir, reparei que muitas delas choravam imenso e todas estavam muito tristes. Este momento foi muito comovente e fez-me pensar que, pelas crianças, Deus derrama no mundo os sentimentos mais sinceros e por elas a verdade da tristeza salta bem aos nossos olhos.
Bom, coube-me reerguer a alegria da festa, puxo de um saco colocado discretamente debaixo do altar, um pacote de caramelos - todas as crianças gritaram e pularam de alegria.
Para nós adultos, não pode haver maior tristeza do que ver uma criança chorar e o nosso mundo nunca será lugar de felicidade para todos, enquanto a humanidade não souber estancar as lágrimas das crianças, que choram por causa de tanta injustiça que este mundo apresenta. Não será por acaso que Jesus disse que ninguém entra no Reino dos céus senão se tornar como as crianças.

3 comentários:

Maria Teresa S. T. Góis disse...

"Sai da mão de Deus que a contempla/antes de cria-la como uma Criança/que corre e ri sem verdadeiro motivo,/para a alma ingénua que tudo ignora,/excepto quando,movida pelo desejo de retornar a Ele,/segue de bom grado o que a diverte." Dante Alighieri

Ângelo Paulo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Susana disse...

Eu quase arriscaria dizer, sem de modo nenhum pretender ofendê-lo, que o Senhor se parece muito
com estas crianças: pela sua Autenticidade e Coerência... que incomodam quem já perdeu esta condição!
Um abraço!
Bem haja!
Susana