Convite a quem nos visita

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Comentário à Missa do próximo domingo

O mundo do avesso
18 de Outubro de 2009
Domingo XXIX Tempo COmum
É o que Jesus faz. Coloca tudo ao contrário do pensamento dominante e não se atemoriza nada com essa tarefa ilógica que conscientemente realiza. É a revolução de Jesus, que apela a uma profunda conversão espiritual.
Jesus, fala do dar a outra face ao opressor em vez de recorrer à vingança, de amar os inimigos em vez de odiá-los, de fazer o bem a quem nos odeia ou faz mal, de abençoar os que nos insultam e de perdoar a todos setenta vezes sete. E vai por aí adiante dizendo tudo ao contrário, os ricos são amaldiçoados e infelizes, os pobres abençoados e felizes, os pecadores e as mulheres de má vida afinal têm igual dignidade e passarão adiante no Reino de Deus, os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros, o grande deve fazer-se pequeno e servir a todos, o poder converte-se em serviço à comunidade e não domínio sobre ninguém.
Tudo isto cria um rebuliço infernal na cabeça do mundo que pensa de modo distinto de tudo isto. Jesus sofre um duro golpe na sua reputação. Aquilo com que Jesus menos se preocupava era com a sua reputação. A subversão é total. O Evangelho está cheio de exemplos muito claros da loucura que Jesus propõe. Faz algum sentido para o mundo certinho, organizado em classes e estruturas sociais distintas entre si, esta lógica:«quem quiser entre vós ser o primeiro, será escravo de todos»? - A resposta é dada pelo próprio Jesus:«Os que se exaltam serão humilhados e os que se humilham serão exaltados» (Lc 14,11, 18, 14; Mt 23, 12).
O que importa para Jesus são as pessoas e as suas necessidades. O nosso mundo actual precisa de converter toda a lógica do poder que oprime e aliena as multidões. Somos todos chamados, a libertar o ego e dar a vida pelo bem comum. O mundo precisa de uma lógica de partilha e de fraternidade. Porque o mundo está morto, porque reduzido à vontade absoluta do ego - que significa orgulho, inveja, ciúmes, egocentrismo, auto-importância, soberba, falta de amor, isolamento... - E quando tal acontece a morte é uma evidência. Porém, quando estamos dispostos a morrer pela vida para todos, aí sim estamos vivos. É a contradição do Reino que Jesus Cristo nos propõe e nada nos devia desviar deste caminho que salva. Afinal, quando se diz que Jesus está a virar o mundo do avesso, queremos dizer e acolher que ELe o vira para o lugar certo.

1 comentário:

´^Angelo Paulos disse...

Meu Caro Amigo, realmente esta parte do Evangelho é deveras revolucionária. É muito difícil não ter inimigos, mesmo aqueles que são de estimação. O mundo actual desune mais do que une. A intriga permanece. A começar pelos partidos políticos, que são estruturas de comando da sociedade na campanha que acabou -para bem de todos nós- foi uma confusão, ninguém se entendia, a discórdia permanecia e a tal bofetada era correspondida. A política-dominio está no auge da sua explosão, mehor, dizendo, da sua aniquilação. Agora, perante milhares de desempregados e de um mundo em crise, os partidos continuam a lançar petardos para a desarmonia e a falta de entendimento. O que interessa é estarem no parlamento e o povo que se lixe. Porque a mediocridade triunfa e está lá . A palavra serviço não tem nada a ver com politica.Querem é ser servidos. Eis o antagonismo com os valores do Evangelho ou com outras correntes de pensamento mais próximas Dele.