Convite a quem nos visita

domingo, 21 de março de 2010

Papa pede desculpa pelos abusos sexuais cometidos pelo clero

Carta pastoral sobre casos na Irlanda

20.03.2010 - 11:20 Por PÚBLICO
Numa carta pastoral, sem precedentes, divulgada hoje, o Papa Bento XVI pediu hoje desculpa às vítimas de abusos sexuais por parte do clero irlandês, dizendo que sente “vergonha e remorso” pelos crimes de pedofilia na Igreja Católica.
“Vocês sofreram dolorosamente e eu lamento profundamente”, disse o pontífice na carta em que anuncia a abertura de uma investigação formal do Vaticano às dioceses, seminários e ordens religiosas afectadas pelos escândalos na República da Irlanda. O antigo cardeal alemão Ratzinger mostra-se também disponível para se encontrar pessoalmente com as vítimas para “ouvir pessoalmente” as suas queixas.
Na carta dirigida aos católicos irlandeses, anunciando iniciativas para promover “a cicatrização e a renovação”, o papa lembrou casos do passado, na Austrália e nos Estados Unidos em 2008.
Destinada a ser lida no domingo a todos os paroquianos irlandeses, Bento XVI afirma na carta que os homens da Igreja culpados dos actos de pedofilia deverão responder não só diante de Deus, mas também diante da justiça comum.
Entre as medidas anunciadas pelo papa na carta, figura o anúncio de uma “visita apostólica”, isto é, uma investigação “em várias dioceses da Irlanda”, assim como “nos seminários e congregações religiosas”. A visita deverá ajudar a Igreja local “no seu caminho de renovação”.
O papa anunciou igualmente “os graves erros de julgamento” cometido pelo episcopado irlandês, acusado de ter encoberto centenas de casos de pedofilia cometidos por várias décadas por seus religiosos.
“A minha primeira reacção é de profundo desapontamento”, disse Maeve Lewis, directora executiva do grupo One in Four, representante das vítimas “Não há nada na carta a sugerir que existe uma nova visão na liderança da Igreja Católica”, acrescentou, referindo-se a uma das exigências apresentadas: a demissão do cardeal Sean Brady, chefe da igreja irlandesa, que não denunciou à polícia os abusos alegadamente cometidos, nos anos 1970, por um padre de Nobertiine, Brendan Smyth, que só posteriormente foi condenado e morreu na prisão.
Brady prometeu reflectir sobre a sua postura, no sermão da missa de hoje, em Armagh, na Irlanda do Norte, mas não deu qualquer indicação de que tenciona demitir-se. “Saúdo a carta pastoral”, comentou o prelado. “É evidente que o Papa Bento está muito chocado com o que considera ‘actos criminosos e pecaminosos e o modo como as autoridades da Igreja na Irlanda lidaram com eles’. Ele [Papa] diz que a Igreja na Irlanda deve assumir, perante Deus, este outros pecados cometidos contra crianças indefesas”.
Nota da redacção: louve-se a humildade do Papa e a coragem... Esperemos que todos os membros da Igreja, mais responsáveis, sigam o Papa e que não se limitem a esconder os criminosos de tamanhas barbaridades e tudo façam para ajudar as vítimas e a procurarem todos os meios para chamar a contas todos os criminosos destes crimes hediondos.

4 comentários:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís, não é tudo, mas já é alguma coisa. Todavia, a parte mais importante é ver o problema de raiz. E isso o Papa não fez nem faz. Daqui mais uns tempos ou anos enquanto o celibato não for resolvido ou questionado, haverá mais pedófilos.É a minha opinião.

tukakubana disse...

Louvarei essa "humildade" (acho a palavra forte)se os indivíduos apontados responderem, tal como outro qualquer civil, pelo crime. Não basta pedir "desculpas públicas", abafando casos, transferindo sacerdotes e pedindo às comunidades religiosas donativos para pagar as indemnizações.Depois é preciso ouvir TODOS os Bispos, Padres, Religiosos sobre o celibato no Sacramento da Ordem.

Autor do blog disse...

Claro que a Tukakubana tem toda a razão, mas já é um pequeno/grande sinal perante a «máquina» sufocante que o rodeia, chamada Vaticano...

Anónimo disse...

Boa tarde, peço desculpa mas o problema da pedofilia não está apenas no celibato (também é necessário rosolver), mas na educação e na mentalidade, não se esqueçam são pessoas doentes.

A atitude de sua Santidade foi de louvar, mas não é o suficiente.

Claro que toda a gente está contra a igreja Católica, mas vejamos o caso da casa Pia - não são só os padres que são defendidos,mas todos aquele que tem dinheiro para se poderem defender.

Cumprimentos