Convite a quem nos visita

domingo, 30 de maio de 2010

E se o povo se cansar…

Os jogos europeus do Marítimo vão realizar-se no Estado do Nacional. Ao que parece é necessário pagar uma conta por essa utilização.
Bom, mas, dado que há uma birra entre os dirigentes maritimistas e nacionalistas, não se entenderam quanto a esse pagamento.
Porém, porque temos uns governantes cheios de bondade e de misericórdia, entraram no negócio e prontamente irão pagar a conta com dinheiro dos contribuintes e não com dinheiro dos seus chorudos salários, como se poderia pensar à partida quando, ironicamente e eufemísticamente, qualificamos de bondosos e misericordiosos estes governantes.
Onde vamos parar com estas políticas do desbarato e do desrespeito pelo nosso povo simples, que, nestas horas de apertos, come o pão que o diabo amassou para suprir os seus deveres? - Mais um escândalo inqualificável do desgoverno em que está a nossa Madeira.
Após a tragédia de 20 de Fevereiro, que levou a uma onda de solidariedade sem precedentes entre nós e fora de nós, esperava que as atitudes fossem agora outras e que o respeito pelos bens públicos fosse um valor mais forte e mais visível. Mas, nada. Continua a mentalidade esbanjadora e a construção desregrada, sem planos, e quem sabe sem pensar-se na sua utilidade e importância para o futuro da Madeira. Parece que o mais importante é saciar a fome da clientela partidária, não importa o futuro nem muito menos que outros sofram com isso. Há um certo sadismo em tudo isto. Penso também, já ser tempo de se procurar estabelecer regras bem claras e fortes limites quanto ao fazer bem e de modo especial quanto ao gastar bem os dinheiros que são de todos nós. Com estas e outras caiem por terra todos os exaltados discursos a favor dos apertos financeiros que estes governantes actuais estão a fazer. Lá virá o dia em que o povo, que eles consideram tolo, se cansa. Não se esqueça isso.
Nota da redação: Felizmente, esta manhã, 1 de Junho de 2010, fomos acordados com a feliz notícia que imperou o bom senso. A entidade privada, Nacional, prescinde do respectivo pagamento. Agradecem todos os contribuintes por esta dádiva, melhor, este bom senso. Só lamentamos, que aqueles que nos governam não tenha tido a iniciava de desde o início por fazerem prevalecer os interesses de todos nós. Um bem haja a quem denúnciou tamanha injustiça. Vale a pena levar a sério a consciência dos valores que devem nortear a acção de todas as entidades ao serviço do nosso povo.

2 comentários:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís, tem toda a razão. Isto é tudo uma pouca vergonha, mas não esqueça que esse mesmo povo é o guardião dos três "f". Quem se preocupa que no meio de tanta pobreza esses cães de luxo chamados Ronaldos e Mourinhos vão "mamar" pipas de dinheiro.Milhões e milhões deles."Panis et circum" como as outras alienações como a procissão do Corpo de Deus tal como a Virgem Peregrina. Tudo isto concorre para que a pobreza aumente e o fosso seja maior. E o D.Carrilho na entrevista que dá sobre os seus 3 anos nesta diocese, falas sobre o dinheirão que vai para o JM palavras fugi de mim que"sou manso e humilde" para mim o maior obstáculo é a Ribeira Seca e o Padre que preside aquela paróquia.

tukakubana disse...

Atitude insultuosa que envergonha a iluminada cabeça que a pariu, de o Gov Regional pagar os 25.000 €. Afinal, só pela comparência não vai o Marítimo receber milhares? Numa época de crise, quando 3 meses depois ainda vimos casas esventradas e famílias deslocadas no 20 de Fevereiro, é IMORAL despachar assim, à imbecilidade, o Povo Madeirense!