Convite a quem nos visita

sábado, 29 de maio de 2010

Os Sete Sapatos Sujos

O escritor moçambicano Mia Couto, também licenciado em Medicina e Biologia, fez uma oração de sapiência, no dia 7 de Março, na abertura do ano lectivo do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique.
Excertos desta oração foram publicados no “Courrier Internacional” de 2 de Abril. Destacamos... “Os Sete Sapatos Sujos”:
Não podemos entrar na modernidade com o actual fardo de preconceitos.
À porta da modernidade precisamos de nos descalçar.
Eu contei “Sete Sapatos Sujos” que necessitamos de deixar na soleira da porta dos tempos novos. Haverá muitos. Mas eu tinha que escolher e sete é um número mágico:
Primeiro Sapato
A ideia de que os culpados são sempre os outros.
Segundo Sapato
A ideia de que o sucesso não nasce do trabalho.
Terceiro Sapato
O preconceito de que quem critica é um inimigo.
Quarto Sapato
A ideia de que mudar as palavras muda a realidade.
Quinto Sapato
A vergonha de ser pobre e o culto das aparências.
Sexto Sapato
A passividade perante a injustiça .
Sétimo Sapato
A ideia de que, para sermos modernos, temos que imitar os outros.

Mia Couto
Gravura de Neves e Sousa, Pintor Angolano

2 comentários:

tukakubana disse...

Mia Couto para além de geógrafo e escritor é um grande humanista. Com o conto dos sapatos - e acho que haveria mais...- ele põe-nos a reflectir em tantos actos impensados da nossa vida pequenina, no nosso quotidiano. É bom que haja quem, por contos ou histórias, a sério ou a brincar, nos vá alertando.
São vozes que nos entram, de mansinho, nos ouvidos e, se deixarmos, farão o seu trabalho.
Bom fim de semana, ao Amigo José Luís e a todos os seus convidados deste Banquete, onde se vive a partilha.

Graça Pereira disse...

Gostei da história porque aprecio muito Mia Couto...moçambicano como eu...
Abraço
Graça