Convite a quem nos visita

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Comentário à Missa do Próximo Domingo

Domingo XIII Tempo Comum
27 de Junho de 2010
Os discípulos - nunca olhar para trás
Para haver discípulos terá que haver um mestre. Pois bem, do Mestre Jesus falou-se no domingo passado, mediante a pergunta,«Quem dizem que Eu sou?». Neste domingo, salta à vista nos textos da Missa a figura do discípulo. Até podemos adiantar: «Quem é o discípulo de Jesus?».
Há uma história japonesa que conta assim, um dos discípulos de Yu estava conversando com um discípulo de Rinzai: - O meu mestre é um homem capaz de fazer milagres, e por causa disso é respeitado por todos os seus alunos. Eu já o vi fazer coisas que estão muito alem da nossa capacidade. E o seu mestre? Que grandes milagres é capaz de realizar? - O maior milagre do meu mestre é não precisar mostrar nenhum prodígio para convencer aos seus alunos que é um sábio. - Foi a resposta.
Jesus é este mestre que convoca os seus discípulos para a missão, sem que lhes garanta fortunas em dinheiro ou qualquer regalia futura. Mas, como seguir este mestre que oferece sofrimento e fidelidade incondicional? - Não sei a resposta, está centrada no interior do coração de cada um, que aí descobre o fascínio por uma pessoa, Jesus Cristo, um sábio que não precisa de fazer-nos milagres para se crer Nele e fazer da nossa vida uma alegre missão em Seu nome. A compreensão disto não é óbvia, mas que importa isso face à felicidade de ser discípulo deste mestre que nos chama a ser livres e pela liberdade de fazer tudo para o bem de todos. São Paulo confirma este pensamento na Carta aos Gálatas.
O ser discípulo de Jesus, é ser voz do reino novo do amor com toda a coragem, sem que nada deste mundo faça voltar atrás. Com Jesus o medo não tem lugar na vida do Seu discípulo e o caminho é para diante sem desânimos com olhar fixo na utopia consciente ou militante da fraternidade universal.

2 comentários:

tukakubana disse...

Um dos problemas da Igreja de hoje, na minha opinião, é a tentativa (infelizmente às vezes conseguida) de haver muitos "mestres". Normalmente, estes indivíduos, esquecem, nem sei se deliberadamente se por força da sua vaidade, que Mestre é só um.
Não há nada a inventar, Ele deixou-nos todas as directrizes.
Cada qual na sua caminhada é fazer-se ao caminho!

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís, realmente Jesus foi o Mestre do Amor , da Fraternidade.Ele anunciou-nos o Projecto do PAI. O que é que o PAI/MÃE de Jesus e nosso quer: Um Mundo livre de precoceitos, de religiões paganistas que adoram imagens e fazem manifestações através de procissões, rezinhas de terços, lencinhos a desfraldar dores e sofrimento. Jesus contrariamente ao Deus de Moisés , revelou-nos um Deus que quer mulheres e homens adultos na Fé , no Amor e na Fraternidade. Criou-nos a Terra para que inteligentemente recriassse-mo-la nõs os humnaos e disfrutássemos do seus frutos , do prazer de viver e não de morrer e sermos condenados. Toda a mentalidade sacrificial caí por terra. A Cruz é um acto de Coragem por parte de Jesus, o Qual foi condenado por dizer a Verdade frente aos cobardes , aos poderosos politicos e religiosos e aos atropelos que as doutrinas fazem, nomeadamente a Igreja que Ele fundou. Hoje já não adoramos ou contemplamos esse acto de Coragem de Jesus, mas, sim, os hierarcas: o papa, bispos e sacerdotes e até leigos e leigas que estragaram e deturparam tudo. Os Homens e Mulheres do nosso tempo perante uma igreja adormecida , e torpe que apenas condena a moral manifestada na sexualidade no prazer da sua beleza f+ísica e psicológica e espiritual. A hipócrita igreja apresenta-nos o inferno , o medo,o pecado o negrume de uma vida sem esse Sol que Deus nos deu para sermos aquecidos no seu AMOR. O prazer sexual bem vividos entre mulheres e homens com ou sem procriação é uma d´´adiva de Jesus, que a igreja católica romana matou e mata através das suas nefastas admoestações. Basta ver quantos sacerdotes (diocesanos ou religiosos; homens e mulheres, para se dedicarem não a Jesus ou a Deus,mas ao papa e ao bispo, ficaram tolhidos na sua dignidade existencial.Vivem com esse massacre de uma igreja burocrática e disciplinarista. Vem Senhor Jesus e dá-nos uma nova Igreja onde possamos viver livre e alegremente. E a tua Ressusrreição tb éstá aí.Inauguraste com Ela, Senhor, um Novo Céu e uma Nova Terra
Deus aproveita todas as nossas sinergias para activarmos o Seu Amor, não só para Ele,porque Ele não é egoista, mas para os Irmãos e Irmãs, seus Filhos e Filhas.