Convite a quem nos visita

sábado, 5 de junho de 2010

O amor em acção

Bem-aventurada Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade A Simple Path (a partir da trad. francesa, Plon Mame, 1995, p. 95), disse a partir desta frase do Evangelho:
«Todos deitaram do que lhes sobrava, mas ela, da sua penúria, deitou tudo quanto possuía»
«Tendes de dar aquilo que vos custa um pouco. Não basta dar apenas aquilo de que podeis prescindir, tendes de dar aquilo de que não podeis nem quereis prescindir, as coisas às quais estais presos. Nessa altura, o que dais passa a ser um sacrifício, que tem mérito aos olhos de Deus. [...] É aquilo a que eu chamo o amor em acção. Todos os dias vejo crescer este amor nas crianças, nos homens e nas mulheres.
Certo dia em que ia a descer a rua, aproximou-se de mim um mendigo que me disse: «Madre Teresa, toda a gente lhe oferece presentes e eu também quero dar-lhe um presente. Hoje deram-me apenas vinte e nove cêntimos durante todo o dia e eu quero dar-lhos.» Fiquei a pensar um momento: se eu aceitar estes vinte e nove cêntimos (que não valem quase nada), ele corre o risco de não ter que comer esta noite; mas, se não os aceitar, ofendo-o. Então, estendi a mão e aceitei o dinheiro. E nunca vi, em rosto algum, tanta alegria como a que vi no rosto deste homem, que ficou felicíssimo por ter podido oferecer qualquer coisa à Madre Teresa! Para ele, que tinha mendigado o dia todo ao calor, aquela soma irrisória, que não serviria para quase nada, era um sacrifício enorme. Mas era uma coisa maravilhosa: aquelas moeditas a que ele estava a renunciar valiam uma fortuna, por serem dadas com tanto amor».
Nota da redacção: Que extraordinário pensamento! E se levado à prática o nosso mundo seria um paraíso para todos os povos... Fiz deste texto a minha oração da manhã.

3 comentários:

tukakubana disse...

Madre Teresa foi uma figura ímpar: viveu a mensagem das Bem-aventuranças até à última gota. Deixou-nos alertas, exemplos, mostrou-nos caminhos.
Quantas vezes se fala dela na Igreja?
Quantas referências no Vaticano, nas nossas Igrejas?
Será que não interessa divulgar a mensagem de Madre Teresa a esta igreja rica e poderosa, do venha a nós, que esquece pobres, marginalizados e os próprios crentes?
É bem capaz...

Lilazdavioleta disse...

Como concordo com as alavras de tukakubana.
Maria

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luis,ratifico tudo o que a Tukakubana esvreeu e ainda acrescento os nomes dos Pes. que deveriam ser canonizados: O saudoso Pe.Laurindo Pestena Leal, O Pe. Américo Aguiar, fundador da Csa do Gaiato e o Cónego Pombo (apesar conservador), mas morreu pobre e viveu cumprimentando, tirando o chápéu a ricos e pedintes, mulheres sérias e a prostitutas. Ao ponto que, quem lá estava no seu velório na sacristia da Sé Catedral do Funchal eram essas mulheres e mais um pormenor o seu caixão foi levado pelos Padrss do Pombal. Embora discordantes das suas ideias, mas apaixonados pela sua coerência da pobreza franciscana. Tudo dava , a sua roupa e sapatos e o dinheiro que não foi pouco dos serm~poes fazia tudo era entregue ao primeiro pedinte que encontrava. A sexualidade dele em termos deprazer estava em viver e ser pobre