Convite a quem nos visita

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Cortes para salvar Portugal

Na Saúde e na Educação não devia haver cortes... Porque está em causa o nosso futuro e o bem estar do grosso da população!...
..........
A não ser nos salários, regalias e reformas astronómicos que alguns agentes destes sectores ainda auferem.
..........
Por fim, são sempre os mesmos a pagar as asneiras de uma minoria irresponsável e insensível perante os bens que não são apenas seus, mas são património de todos. A razão de ser desses bens radica em todos e enquanto esta consciência não existir na cabeça de quem os governa, o país caminhará sempre para o abismo...
José Luís Rodrigues

3 comentários:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luis, isto é uma vergonha.Continuamos a desprezar a Pobreza e os Pobres. E hj já não são só os mendigos ou andrajosos (termo que não gosto), mas há gente que veste mais ou menos bem e que está com os bolsos vazios para fazer face aos seus problemas do dia a dia. Há gente que almoça e não janta; ou ao contrário, pq não tem dinheiro para ir ao supermercado. Há os gatunos de todos os tempos, aí outra vez, no sec XXI. E o Estado é um deles, quando deveria ser uma pessoa de bem. A banca e os seguros, as finanças tudo come .Levam tudo o que custou familias a possuir para ter o seu conforto e bem-estar nas suas casas. Naturalmente, que a crise é mundial porque a maneira de pensar é a mesma . É a tal mão invisível O capitalismo selvagem não tem fronteiras os ricos avarentos continuam à solta por esses países fora, quando puseram as suas empresas em falência-fraudulenta. É vê-los depois de declararem falências e despedirem pessoas (homens e mulheres) que ficaram à deriva sem ter ninguém que lhe dê apoio material e espiritua, são esses ditos gestores que receberam milhões de euros de indemnizações a andarem com carros de luxo e iates e a investirem em países que não respeitam os Direitos Humanos. Hj vê-se grandes politicos que foram anti-fascistas e estivem exilados a dizerem que a Constituição deve ser revista e tirar de lá do texto o direito à saúde, educação e habitação .Disse-o o Dr.António Barreto. Pq ele cá vai buscar à Universidade onde dá aulas, livros que escreve e investigação que faz.Tal como o Sr.Miguel Sousa Tavares que ganha milhões nos livros que escreve e no Expresso onde tb escreve e na SIC. São esses sacertotes do capital que querem alterar a Constituição. Pensava que o mundo intelectual em termos de romancistas ou de sociologos fossem mais dóceis -não caritativos- para com os que não têm. Acham que estão a pagar muitos impostos para os fins de solidariedade social.Isto é uma pouca vergonha! Ser de direita ou de esquerda não há discernimento. Os valores da solidariedade perderam-se com o vil metal .Continuo a pedir que façam publicar o documento do bispo Carlos Azevedo que há pouco tempo em Fátima atacava veementemente o sistema capitalista. E pedia à classe politica para dar 20% dos seus vencimentos para colmatar os problemas sociais muito graves. As isntituiçõe sociais da Igreja estão apavoradas com os dramas que geram crime, insegurança, mal-estar sendo as principais vítimas os idosos e as crianças. E a nossa Constituição será revista para devolver direitos aos que antes do "25 de Abril" perderam-nos. E querem se vingar.Até o dia em que apareçam hitleres, estalines, salazares e outros. As democracias são muito frágeis. E tal como diz o Evangelho "os filhos das trevas são mais espertos que os filhos da LUZ"

Marilu disse...

Querido amigo, a primeira coisa que eles cortam é educação e saúde, gostaria de saber como sobrevivi um país sem esses dois ítens. Aqui no Brasil, já foram cortadas a muito tempo, ou melhor acho que nunca as tivemos. Enquanto isso os políticos continuam roubando descaradamente...Esse são os nossos paises. Beijocas

tukakubana disse...

Concordo em parte com que o Ângelo disse.Lembro-me de ser menina e considerar que eram pobres os que víamos sentados nas soleiras das portas de Lisboa, de mão estendida.E o porta moedas de quem me acompanhava abria e de lá saía as moedas de modo a que cada um pudesse dar uma.Cresci:aprendi que a pobreza física (carência ou doença) é curável, já a pobreza espiritual, não.Hoje há pessoas carenciadas sim; há-os aproveitadores também.No 1º semestre deste ano venderam-se 30% + de carros novos, tanto na Madeira cm no Continente.Metade da população portuguesa (5 milhões) depende de uma ou outra maneira de subsídios do Estado.Dos que recebem desemprego, a maioria se chamados, não aceita trabalho.Nunca se viu tanta gente encostada...Mas HÁ Pobreza (gosto de escrever com letra grande!)E não distribuição de riqueza.Para melhorar o sentido de partilha só se incentivarmos as gerações mais pequenas. Posso ser descrente mas já não acredito que o Egoísmo (porque há pobreza por causa do egoísmo)baixe décimas quando o TER e o PARECER se sobrepõe ao aceitar a condição de simplesmente ser.Nem entro pela conversa do capitalismo porque, bem vista as coisas, todos o praticamos mesmo se inconscientemente, quase somos obrigados a isso por força do mercado económico. Mas, a nossa sensibilidade e disponibilidade só nós podemos gerir.Nem que seja um sorriso, uma palavra, uma pequena acção, é sempre possível a partilha. Deixemos as utopias e olhemos, de frente, a realidade e sem desculpas!