Convite a quem nos visita

sábado, 4 de dezembro de 2010

Anedota - Rir faz sempre bem e quando se aprende melhor

Estavam dois malucos a combinar como
deviam sair do manicómio:
- Então e assim, temos duas opções:
se o muro do manicómio for alto nós escavamos e fugimos por baixo;
se o muro for baixo nós saltamos o muro.
Vai verificar a altura do muro.
Pouco depois:
- Estamos tramados To.
- Então porquê?
- O manicómio não tem muro!
Nota: O que se aprende com esta anedota? - Muito, estamos encurralados com imensos muros e a maluqueira do calar e da subserviência remete-nos à prisão do medo, do egoísmo e do comodismo. É isso que os poderosos querem. Afinal, tantos muros são apenas fruto da loucura geral da sociedade e resultado da imposição dos dominadores. Se todos quisessem o mundo seria afinal um lugar muito bom para se viver e não o manicómio que alguns, os ditos eleitos, edificam para todos.

4 comentários:

Coisinhas à Chacal disse...

Pois... Vivemos (ou sobrevivemos, depende da prespectiva) de tal forma, que acabamos sempre por complicar as coisas que mais simples são! Não deixa de ser nada fruto da nossa futil imaginação! Temos tudo à nossa frente, ferramentas que Deus nos deu, e que afinal, não vemos ou não sabemos usar! Nem as conhecemos!

Fábio Belim
www.olhares.com/ChacalDiferente

Espaço do João disse...

Um dia todos os muros cairão.
Não foi a torre de Babel que caiu? Babel era maluco?
Meu caro, enquanto não houver um maluco que dê cabo de todos os malucos, continuaremos sempre num mundo de malucos.
Um grande abraço deste maluco. João

tukakubana disse...

Desde que nascemos são erguidos muros à nossa volta; de protecção, de correcção, de orientação, de exigência, de opressão...
Usar a utopia como alavanca, sonhar, saltar os muros.
Como de uma simples anedota de malucos acabamos por dizer: "e o maluco sou eu?" (onde é que eu já ouvi isto...?)

TILIDA disse...

Detesto muros,principalmente os que nos são criados