Convite a quem nos visita

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

"Igreja Católica portuguesa é das mais abertas ao espírito do tempo"

Nota: Citação importante do dia...
«Hoje, todas as grandes religiões estão representadas pelos seus fiéis e celebram os seus diferentes cultos, livremente, nos templos que construíram. O diálogo entre as diferentes religiões - e entre crentes e não crentes, repito - realiza-se no respeito mútuo e na assunção da multiculturalidade. O que representa um enorme enriquecimento para a sociedade portuguesa, no seu conjunto.
Obviamente que a Igreja Católica, com as suas história, tradições culturais e civilizacionais, continua a ser a que tem mais fiéis e peso na sociedade portuguesa. Mas é hoje uma Igreja aberta à sociedade, à democracia e às mudanças geoestratégicas, pelas quais o mundo, no seu conjunto, está a passar. É um não religioso e agnóstico que o constata.
A Comissão da Liberdade Religiosa, criada pela lei respectiva, em 2001, teve como seu primeiro presidente o conselheiro Meneres Pimentel, que gentilmente nos visitou e conversou connosco, nas vésperas de Natal. Curiosamente, estiveram presentes representantes muçulmanos, judeus, protestantes e hindus, mas nenhum católico, com certeza pelas obrigações da quadra natalícia.
A Comissão da Liberdade Religiosa tem tido encontros com instituições homólogas de outros países europeus, e nomeadamente da Espanha. Ganhámos, com esses encontros, muitos conhecimentos. E, por isso, podemos hoje dizer, objectivamente, que a Igreja Católica portuguesa é, certamente, das mais abertas ao espírito do tempo. O que é extremamente importante, nesta época de crise, que atravessamos».
In Diário de Notícias de Lisboa, 28/12/2010

3 comentários:

tukakubana disse...

Mário Soares sendo ateu, agnóstico e republicano é ainda um dos poucos senhores que restam em Portugal.
Está inserido no movimento de Santo Egídio onde traqueja facilmente com todos os credos. Casado com uma senhora profundamente católica atrevo-me a dizer que não será tão ateu quanto isso, sendo dono de um Humanismo em declínio na sociedade, nunca deixou de exprimir, em Liberdade, a sua opinião.

Carlos Maduro disse...

Eu sei que muitas pessoas sabem que nós sabemos que as coisas não são bem assim.
A última história giríssima dos amores da Igreja Católica com a Gente Socialista está na questão do financiamento do ensino particular.
Quanto ao resto, bom, ai se não houvesse Concordata.
É assim, não sou clérigo, não tenho votos, sempre vesti a camisola pelos meus e, por isso, digo o me vai na alma. Tretas destas passam-me ao lado, bluffs, é o que penso e sinto.

José Luís Rodrigues disse...

Carlos Maduro, não fora a autoridade que é o Dr. Mário Soares... Penso que só isso basta. Quanto ao resto, terá razão em muitos outros aspectos. Até acho que não era preciso Concordata nenhuma, melhor seria para a Igreja e para o Estado. Mas, que se diga, se não fosse a Igreja Católica com os seus religiosos/as e milhares de voluntários em muitos lugares da nossa sociedade, o que seria de tanta gente, completamente abandonada pelo Estado... Bom Ano de 2011 Carlos Maduro.