Convite a quem nos visita

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Amo como o amor ama

— Amo como o amor ama.
Não sei razão pra amar-te mais que amar-te.
Que queres que te diga mais que te amo,
Se o que quero dizer-te é que te amo?
*
Quando te falo, dói-me que respondas
Ao que te digo e não ao meu amor.
Ah! não perguntes nada; antes me fala
De tal maneira, que, se eu fora surda,
Te ouvisse todo com o coração.
*
Se te vejo não sei quem sou: eu amo.
Se me faltas [...]... Mas tu fazes, amor, por me faltares
Mesmo estando comigo, pois perguntas —
Quando é amar que deves. Se não amas,
Mostra-te indiferente, ou não me queiras,
Mas tu és como nunca ninguém foi,
Pois procuras o amor pra não amar,
E, se me buscas, é como se eu só fosse
Alguém pra te falar de quem tu amas.
*
Quando te vi amei-te já muito antes:
Tornei a achar-te quando te encontrei.
Nasci pra ti antes de haver o mundo.
Não há cousa feliz ou hora alegre
Que eu tenha tido pela vida fora,
Que o não fosse porque te previa,
Porque dormias nela tu futuro.
Fernando Pessoa, (in "Obra Poética")
......................................
Nota da redacção: Porque não celebrar o amor cantado pelos grandes mestres... Em vez de se recorrer a velhos moralismo, infantis e às vezes patéticos, porque não declamar textos daqueles que sabiamente cantaram o amor e o exaltaram como o único caminho de felicidade. Quem não sabe disto, o melhor que faz é estar quieto e calado. Deixemos os grandes dizerem o que o segredo do amor lhes desvelou na profundidade da sua sabedoria. Lembro apenas alguns: Jesus de Nazaré, São João da Cruz, Santa Teresa do Menino Jesus, Santa Teresa de Ávila, Camões, Fernando Pessoa, Herberto Hélder, Eugénio de Andrade, Al Berto, Flor Bela Espanca, Sophia de Melo Breyner Andresen... Entre tantos outros que souberam cantar o amor como ninguém. Deixemos que eles nos falem dessa realidade que sempre nos escapa face ao ruído ensurdecedor dos moralismos anacrónicos e sem sentido nos tempos que correm...

3 comentários:

CYWMARA WADISQUY disse...

...APLAUSOS...

AME!

XEROOO

Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Vila Rubim Cambará disse...

Amor é paixão, tortura, ciúme...
Gosto de estar junto da sua amada!
Ás vezes, com a ilusão
De ter junto de si,
Bem dentro do coração,
A que é sua adorada....

Eleutério Sousa

tukakubana disse...

Ninguém pode definir o Amor.Cada um o sente como seu, como sua vida, como seu destino, como sua vivência. Quem muito ama, tem vida cheia. E não me refiro só e apenas ao amor humano porque esse não será o amor maior.O amor maior é o que preenche a capacidade racional e afectiva de cada um. E muito se pode cantar sobre o amor mas é pena que o confundam com sentimentos pseudo-amorosos, fortuitos.