Convite a quem nos visita

terça-feira, 12 de abril de 2011

O amor é...

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.
É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?
Luiz Vaz de Camões
Nota: Tendo em conta que veio a público a notícia que os reclusos podem ter sexo uma vez por mês, deixo aqui o famoso poema de Camões sobre o amor, para que os encontros sexuais não sejam apenas ocasionais, desprovidos de amor e carne... Ó triste país este...

1 comentário:

Jorge Passos disse...

Padre José Luiz, aproveitando o poema belíssimo do poeta mor lusitano, venho neste espaço, divulgar uma festa tradicional em nossa cidade, Jaguarão- RS, e que tem origem nos costumes portugueses .A Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, celebrada com procissão pelas ruas e também fluvial, com os barcos dos pescadores e de quem vive das águas do rio Jaguarão.
Veja o vídeo com imagens da procissão e música incidental de Bach no sitio:

http://confrariadospoetasdejaguarao.blogspot.com/2011/04/festa-de-n-sra-dos-navegantes-em.html

Obrigado! Abraço