Convite a quem nos visita

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Mais do mesmo a governar Portugal

Mais uma vez a direita toma conta do nosso país. É assim a Democracia. O povo foi chamado a votos, escolheu. Mas como escolheu? – Com memória muito, muito curta. Pois, elegeu a direita gastadora, insensível perante o bem comum. Uma direita clientelar, sedenta de poder e desejosa de tomar de assalta o governo da nação para encher os cofres dos seus partidos. Lembro-me de ouvir, suponho, o director da Visão, no início da campanha eleitoral, que o PSD tinha de ganhar desesperadamente estas eleições, porque o partido estava sem dinheiro. Nunca mais se ouviu o homem, foi banido das televisões.
Assim, ganhou quem queriam que ganhasse as televisões, os empresários, a troika e todos os muito bem instalados e donos deste país, os profetas do capitalismo selvagem e os ultra-liberais que entendem que a salvação do mundo radica na benevolência dos privados. Não sabemos nós ainda que quem é detentor de empresas não tem em vista senão o lucro e que se deixa comandar só e unicamente pela ganância de possuir quanto mais melhor? – Uma lógica que sempre acompanhou a humanidade, não será agora que as coisas serão distintas…
Muito bem, ganhou uma direita que já nos deu provas mais que suficientes quanto à sua capacidade de gastar. Faz rir imenso ouvir os nossos governantes regionais e o Luís Filipe Menezes, presidente da Câmara de Gaia (a Câmara mais endividada do país). Destes senhores ouvimos lições de como o dinheiro deve ser gasto. Eles ensinam como se faz com os bens de todos nós. Eles sabem e acusam quem são os responsáveis da nossa desgraça. Lembram-se como estava a Câmara Municipal de Lisboa antes das eleições autárquicas? Lembram-se de quem a governou? – Uma coligação PSD-CDS, exactamente como agora será para governar o nosso país. É esta coligação que odeia pobres, tem nojo deles e nunca se viu uma medida destes senhores para proteger os mais necessitados nem muito menos medidas que nos libertem da burocracia, que atrasam o desenvolvimento do nosso povo.
Poucos se lembram destas coisas. E porque a massa não pensa, ganhou a direita, porque a esquerda não se entende e José Sócrates, enlouqueceu com o poder. Por isso, ganhou esta direita do liberalismo cego, reaccionária e ávida de poder para satisfazer os seus apetites de dinheiro. Quem sabe se nos salvará o facto de estarmos em tempos de vacas magras e os gastos serão aferidos por forças externas aos apetites da politiquice caseira? – A ver vamos. Por isso, A meu ver estamos perante uma pequena vitória, que se revelará muito, muito amarga para todo o povo português. E perante tudo isto, voltamos a mais do mesmo e experimentamos o que já está mais que experimentado na governanção da coisa pública deste famigerado país. Por fim, esta direita, não ganha com convicção nem com votos do coração, mas porque a irritação contra a esquerda e, especialmente, contra Sócrates era muito grande. Os seus erros foram fatais. Esqueceu os valores da esquerda, enterrou-se com as suas próprias acções. Foi corrido e bem.
Parece que alguma Igreja Católica está radiante com esta pequenina vitória...
Contudo, oxalá me engane redondamente…
JLR

2 comentários:

tukakubana disse...

Portugal regrediu de Março para cá. A esta hora o BE, que quis derrubar o governo, derrubou-se a si mesmo...iMPENSÁVEL, NÃO ERA?
Haverá sempre uma Fénix a renascer das cinzas.

José Luís Rodrigues disse...

Também acho que o BE levou o que merecia. Não contribuiu em nada e, pior, no fim ajudou a direita a tomar conta disto. É caso para dizer-se, que bem feita! Quanto a fénix a renascer das cinzas, espero que não seja o Louçã e todos aqueles loucos que o rodeiam...