Convite a quem nos visita

sábado, 25 de junho de 2011

Ofensa contra as mulheres

Já não há pachorra (porque, parecia ser dos bispos mais lúcidos que Portugal tinha, mas o peso da idade não perdoa), o homem dixit: "Não foi por acaso que Jesus escolheu para apóstolos homens, e deu às mulheres outro tipo de atenção" - D. José Policarpo, Cardial Patriarca de Lisboa ao JN...
Este homem e toda a Igreja hierárquica não vê que este tipo de pronunciamentos destrói muito mais do que constrói? E que este tipo de pensamentos não colam com a mentalidade dos nossos dias?...
A hierarquida da Igreja Católica despudoradamente continua com as ofensas contra as mulheres. Bom, paciência... Deixemos este homem acabar com dignidade os últimos dois anos de mandato que terá à frente da Diocese de Lisboa.
Propalam-se sempre os mesmos argumentos patéticos, que não são argumentos e que perante as mulheres e homens do nosso tempo, são mais do que infantis. E dá dó que não se perceba que tais argumentos são motivo de chacota e de escárnio nas conversas das pessoas de hoje. É a vida, o ridículo continua dentro da Igreja Católica e alguns fazem disso oração quotidiana. Mais não se percebe como pessoas inteligentes, embarquem por este tipo de argumentos falaciosos que roçam a ofensa e propagam a indignidade a uma parte da humaidade. Valha-nos Jesus Cristo que faz orelhas moucas a este tipo de conversa e continua a escolher para Apóstolos homens e mulheres.
Por fim, volta o clericalismo em força e a ideia de que a salvação da Igreja passa pelo clericalismo dos machos contras as fêmeas. Nada disso. A Igreja precisa de mudança de alto a baixo e creio que nesse aspecto a acção do Espírito Santo será muito mais eficaz do que este tipo de conversa anacrónica e patética daqueles que se acham escolhidos em detrimento dos outros. Já seria tempo de pôr fim a este tipo de ofensas contra as mulheres. E os sr.s bispos que deveriam ser os primeiros a perceber isso, continuam na linha da frente com esta forma de pensar tão triste.
JLR

3 comentários:

Teresa disse...

Nem de propósito. Vale a pena ler. Uma pessoa como esta irmã não poderia presidir à Eucaristia?http://www.periodistadigital.com/religion/vida-religiosa/2011/06/25/teresa-forcades-dios-mujeres-acceso-sacerdocio-iglesia-religion-papa-obispo-feministas.shtml

Carlos Maduro disse...

Senhor padre, Um dia, numa reciclagem do clero em Vila Real, um sacerdote mais idoso, durante uma conferência mais arrojada, saiu da sala dizendo em voz alta: "Ai que eu perco a fé".
E eu estou como ele ao ler o seu comentário, ai que eu perco a fé, mas não é a Fé, é a fé na sobrevivência da Igreja. Que será desta Igreja quando perder homens duma mente tão aberta como o é o D. José Policarpo e por aqui me fico.

José Luís Rodrigues disse...

Amigo Carlos, fiquei igualmente surpreso quando vi a notícia sobre D. José Policarpo. Que tal canalizarmos a fé para o essencial, Jesus Cristo e a Sua mensagem, tudo o resto menor face à grandeza desse essencial... Uma purificação da fé é sempre necessário. Abraço e grato pelo seu contributo.