Convite a quem nos visita

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

PARA ORAR. SEJA LÁ QUEM FORES…

Seja lá quem fores,
Entrastes nesta casa onde habita o Deus que habita em tudo.
Seja lá quem fores, Ele te acolhe,
Com as tuas alegrias e as tuas tristezas,
Os teus êxitos e os teus fracassos,
As tuas esperanças e as tuas decepções.
Sê bem-vindo!
Outras gerações antes de ti amaram este lugar,
Contribuíram para construí-lo, embelezá-lo;
Rezaram nele.
Respeita-o. Faz silêncio.
Se és crente, reza.
Se buscas, reflecte.
Se duvidas, pede luz.
Se sofres, pede força.
Se estás alegre, dá graças,
E oxalá possas continuar alegre!
Nesta casa, também poderás encontrar irmãs e irmãos,
E elevar a Deus a tua fé juntamente com eles.
Que a passagem por este lugar te aqueça o teu coração e alegre os teus olhos!
Seja lá quem fores, Deus te acolhe.
Também acolhe Deus.
(Texto escrito na porta da Igreja Sainte Catherine, Bruxelas)
Norta: -Devia estar em todas as portas... Especialmente na porta do coração de cada pessoa.
Imagem Google

1 comentário:

lucia disse...

Ontem, estava iniciando a postagem no facebook de um trecho dessa maravilha escrita pela inesquecível Chiara Lubich... e por problemas de conexão, não conclui a postagem....hoje leio esse maravilhoso poema no seu blog que tem tudo a ver com a minha postagem não realizada. Partilho na íntegra aqui agora:
É inconcebível
É inconcebível, é extraordinário, é algo que se grava mais profundamente em minha alma o teu ficar ali em silêncio na sacrário. Vou a igreja de manhã, e lá te encontro . Corro para a igreja ao sentir que te amo e lá te encontro. Passo ali por acaso, ou por hábito, ou por respeito, e lá te encontro. E toda vez, Tu me dizes uma palavra, me retificas um sentimento, vais, na realidade, compondo com notas diversas um único canto, que o meu coração sabe de cor , e me repete uma palavra só: eterno amor. Ó Deus! Melhor não podias inventar. Aquele teu silêncio em que o bulício de nossa vida amortece, aquele palpitar silencioso que toda lágrima enxuga; aquele silêncio... aquele silêncio, mais sonoro que uma angélica harmonia; aquele silêncio que a mente traz o Verbo, ao coração doa bálsamo divino; aquele silêncio em que toda voz se reconhece canalizada, toda prece ressoa transformada; aquela tua presença arcana...
Ali está a vida; ali, a espera; ali o nosso pequeno coração repousa, para retomar sem trégua o seu caminho.