Convite a quem nos visita

terça-feira, 20 de março de 2012

Só para lembrar...

Título de notícia no Dnotícias de hoje (20 de Março de 2012): «Apoio Social faz-se através da Caritas». Ámen. Fantástico que assim seja. Só falta dizer que a Caritas Diocesana do Funchal é a legítima «dona» dos pobres da Madeira. Se denunciasse aqui tudo o que se conta sobre a acção desta organização da Igreja Católica da Madeira, provocava arrepios.
Adiante... Infelizes os pobres da Madeira se o apoio social se reduzisse à Caritas. Lembremos os vários grupos das Paróquias, por exemplo, as Conferências de São Vicente de Paulo (estruturas que a Caritas e algumas pessoas da Igreja não gostam), as famílias entre si e tantas e tantas pessoas que por sua livre iniciativa socorrem famílias inteiras... Isto sim, é ser Igreja concreta à luz do Evangelho que diz: «Tende cuidado em não praticar as boas obras diante dos homens, para serem vistas, pois, do contrário, não recebereis recompensa de vosso Pai que está nos céus. - Assim, quando derdes esmola, não trombeteeis, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Digo-vos, em verdade, que eles já receberam sua recompensa. - Quando derdes esmola, não saiba a vossa mão esquerda o que faz a vossa mão direita; - a fim de que a esmola fique em segredo, e vosso Pai, que vê o que se passa em segredo, vos recompensará» (M 4, 1-4). Só para lembrar…
Muito bem. Qualquer suspiro que dê a Caritas do Funchal é badalado em altas parangonas…

3 comentários:

M A R I A disse...

Belo texto com o qual concordo plenamente: a recompensa por se fazer algo pelos outros é sentir dentro de nós secretamente num recanto do coração uma riqueza imensa pacificadora e cheia de luz.

Hélder Afonso disse...

Caro Sr. Padre, num momento de grande dificuldade económica, social e familiar, custa-me ver e compreender o que o se escreveu. Neste período difícil da nossa realidade, cabe às instituições estarem mais unidas, em comunhão, em harmonia, de mãos dadas.
Julgo que cada um de nós deveria fomentar a harmonia, a concórdia, que são valores do evangelho e que o senhor padre gosta de ensinar.
Recordo as Bem-Aventuranças em que Jesus sobe à montanha para as anunciar; Jesus não pede que se escondam as boas obras, Jesus não impede que as anunciemos; se reparar Jesus sobe à montanha para as anunciar e proclamar.
Em Lc 10 Jesus conta a parábola do Samaritano, onde podemos tirar a lição do amor para com o próximo; também em Lc 11 Jesus ensina-nos a pedir com confiança, falando-nos dos falsos profetas; em Lc 12 Jesus afirma que a nossa vida é um dom de Deus, de entrega aos outros.
Quando Jesus nos pede para que não saiba a direita o que faz à esquerda, claramente condena o Judaísmo do seu tempo, claramente critica a sua forma de actuar. Julgo que nenhuma instituição é “dona” dos pobres, ninguém é dono de ninguém., mas sim deveremos empenhar-nos em tirar da pobreza quem nela se encontra.
É fácil atirar a pedra, difícil é saber perdoar.
Nos últimos anos tenho visto uma enorme solidariedade em volta da Cáritas, vejo também um bom trabalho em redor das caritas diocesanas. Como penso que sabe, Cáritas é uma instituição oficial da Conferência Episcopal, para a promoção e dinamização da acção social da Igreja, da qual os bispos portugueses fazem parte, por isso, e se conhece alguma irregularidade deve comunica-la ao seu bispo, caso contrario está também a ser conivente. Parece-me ser inoportuno vir para o seu blog (embora vivemos num estado de direito, mas com direitos e deveres), criticar as acções de uma instituição que tanto tem feito pela irradicação da pobreza em Portugal; parece-me inoportuno vir para o seu blog fazer afirmações que contradizem a doutrina da Igreja.
Com caridade e amor fraterno, senhor padre, espero que continue a pregar harmonia, pois se assim não for a felicidade fica comprometida.
Espero também que a Caritas continue empenhada na sua missão.
Deixo ainda um texto brilhante de Santa Teresinha:
VALORES FUNDAMENTAIS DO EVANGELHO - 2 Superar o ódio e a divisão por encontros de amor e de comunhão com todos: amor fraterno, vida em comunidade, vida solidária com a humanidade, que conferem autenticidade ao nosso amor aos semelhantes e manifestam sua qualidade; Acolher a dimensão missionária do Evangelho – convite de Deus na pessoa de Cristo para anunciar a Boa Nova: amar Jesus e fazê-lo amado (vocação de contribuir para “uma humanidade salva e reconciliada”, VC 73); Exercer a missão profética de solidariedade e transformação social em comunhão com Maria, “mais Mãe do que Rainha” (Santa Terezinha), redescoberta dentro do mistério de Cristo/Igreja; Por meio de presença viva e orientadora pela justiça e pela paz, testemunhar os valores do Evangelho, que põem em relevo a primazia de Deus no mundo ansioso por uma fraternidade sem fronteiras (“fazer o bem sobre a terra”, cf. a santa). Santa Terezinha: Retornar ao Evangelho

H Afonso

José Luís Rodrigues disse...

Caro Hélder Afonso:

Muito obrigado pela sua carta.

Já comuniquei as irregularidades da Caritas Diocesana do Funchal ao sr. Bispo e nada. Porém, prometo-lhe que não «piarei» nem mais uma palavra (bem ou mal) sobre esta instituição. Um abraço fraterno.