Convite a quem nos visita

segunda-feira, 12 de março de 2012

Sombras de um dia

«Até que o sol não brilhe, acendamos uma vela na escuridão» - Confúcio
Sabe amargo um vazio que diz tudo da morte
Uma solidão feita dor na tristeza da perdição
Em cada dia que ontem pensava ser céu.
Visto aqui e agora proclamam da dor sombria
Que bate na janela da falta de esperança.
Mas o que vislumbro neste tempo seco
Que fez insalubre a terra interior da paz
Pois faz do sorriso um meio insonso
E falso nas sombras que reflectem as palavras
Que nenhuma letra diz senão da inverdade
Do escuro que uma noite pode converter
Na mais dura certeza do desencanto.
Mas, na sombra de um dia Deus levantou um espírito solene
Que inspira a coragem para passar forte
Diante das sombras que os homens querem.
Como vertem nos poros da alma
Uma tenebrosa dor
Mas teimosamente não me ficarei
Senão na luz que revela o descampado
E aí se produz o gosto do brilho
Não da sombra
Sim… - Dos raios do sol da vida.
No final digo convicto
Não são as sombras que fazem a luz
Mas de toda a luz emergem as sombras de um dia.
......
José Luís Rodrigues
......
Imagem Google

1 comentário:

Graça Pereira disse...

Estes dias tambem passei pela sombra de uma saudade, de um luto que nunca termina! Sei que , mesmo após 13 anos de ausência, este vento gélido do deserto chegará sempre nos primeiros dias deste mês. Fiz quaresma com estes dias e o Senhor veio, tal como fez no Egipto e na sua última ceia pascal, buscar-me para a libertação! Ele é Luz e deixei-me embrulhar nela.
Abraço.
Graça