Convite a quem nos visita

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Tempos novos respostas novas. Onde estão?

A Igreja Católica precisa urgentemente de um 25 de Abril...

Se olharmos para a história da Igreja Católica vamos descobrir que o Espírito Santo é o seu motor. Por isso, faz muita pena notarmos que ainda perdura nalgumas mentes os paradigmas punitivos da Idade Média, as sentenças à boa maneira da Inquisição e o velho modelo de Igreja decadente que o único sentimento que provoca é de compaixão, muito longe da adesão que reclama o Evangelho de Jesus Cristo.
Hoje, os leigos foram amordaçados e é claro o retrocesso quanto à doutrina que o Concílio Vaticano II tinha produzido sobre este aspecto. Os sacerdotes e os bispos estão totalmente vergados aos ditames que o Vaticano impõe. Não são raras as vezes que observamos uma quantidade enorme de gente da Igreja totalmente «zarolha» à espreita daquilo que sai do Papa e das suas comissões para repetir só e exclusivamente o que lá é dito e bem aceite.
Assim sendo, felizmente, é cada vez maior o número de cristãos que alimentam o sonho de uma Igreja renovada nas suas estruturas e na sua doutrina. O sonho de que a era do Espírito Santo tomará conta da Igreja está às portas do coração de muita gente.
A Igreja dos novos tempos ou dos tempos actuais vai emergir, porque o Espírito Santo não dorme. Também devemos aprender que, o que melhor sabemos deste dom secreto de Deus é que esteve sempre na história do mundo e que o fecunda constantemente com a sua força transformadora.
Tempos novos requerem respostas novas. Mas impera uma luta feroz contra a diferença e a criatividade. A palavra mais ouvida é comunhão que se confunde com obediência cega e os anacranismos são o pão que alimenta meia dúzia de egos assoberbados com o poder. Lá vamos nós com a convivendo com idolatria e todo o género de actividades religiosas que enchem o olho mesmo que de Evangelho não tenham nada. Sinais tristes que nesta manhã de Abril se animam com o fermento dos ideias da liberdade, da igualdade e da fraternidade.

José Luís Rodrigues

(Imagem Google)

1 comentário:

maria disse...

"A Igreja dos novos tempos ou dos tempos actuais vai emergir, porque o Espírito Santo não dorme". E não dispensa a acção humana: este texto é a prova disso.

Abraço forte.