Convite a quem nos visita

domingo, 2 de dezembro de 2012

Livro desvenda Jesus e combate "obscurantismo"


Para o teólogo galego Andrés Queiruga, Jesus foi uma figura "insuperável"

Foram posições mais progressistas e desempoeiradas da religião cristã aquelas que vieram ontem ao de cima, na sessão de apresentação do livro ' Quem Foi, Quem É Jesus Cristo?', coordenado por Anselmo Borges, padre e docente da Universidade de Coimbra, e que ontem esteve presente no Teatro Municipal Baltazar Dias, onde decorreu este evento. Presente, também, um importante teólogo espanhol, Andrés Torres Queiruga, um dos colaboradores nesta obra que trata de temas tão díspares como a relação de Jesus com a política, o dinheiro e as mulheres. O padre Martins Júnior, que fez uma introdução aos oradores, considerou que a presença dos dois é um "momento alto" na Madeira, e que contribui para dissipar o "obscurantismo" que ainda persiste, em seu entender, nas práticas religiosas na Região. E que, em alguns casos, denunciou, raia mesmo casos de "psiquiatria".
Por seu turno, Anselmo Borges defendeu a necessidade de, para além das práticas meramente litúrgicas e dos dogmas da Igreja, aprofundar realmente o conhecimento da figura de Jesus Cristo, do homem que foi, da vida que viveu e das posições que transmitiu e que ainda hoje marcam gerações.
Ao DIÁRIO, Andrés Queiruga enalteceu o significado "histórico e naturalmente, religioso desta figura extraordinária" que foi Jesus. Dentro da história religiosa da humanidade, Jesus representa "uma culminação que me atrevo a classificar de insuperável", considerou.
"Não é que ele invente tudo", pois herda toda uma tradição religiosa; mas fê-la amadurecer, disse.
In Dnotícias, Madeira, 1 de Dezembro de 2012

2 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Gostaria de ler o livro.
Jesus foi o homem mais extraordinário que existiu na terra. Se Ele não fosse Deus humanamente não seria possível a sua vida e a sua morte.

Pramos disse...

Bom dia.
É um dos livros que pretendo ler.
Penso que como em tudo na vida, o mais importante é mesmo, cada um por si, com os auxiliares necessários e indispensáveis em matéria de fé, criar uma certeza de quem foi e é Jesus Cristo.
Noto, pelas pessoas que me rodeiam, que muitas vezes é mais fácil pegar no que alguém diz, que até vai de encontro ao que pensamos, e fazer disso o nosso discurso.
É fundamental que nos cultivemos, sem dúvida, igualmente importante é que com base nos diversos testemunhos relatos e opiniões, construamos cada um a nossa própria certeza de quem QUEM FOI e QUEM É JESUS o CRISTO DE SEMPRE.