Convite a quem nos visita

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

E eu creio (9)

E eu creio?
Olá amigos. Partilho convosco o contributo/partilha da nossa irmã e amiga do Brasil, Lúcia Andrade Souza Camposque deu largas ao seu coração e participa nesta secção do Banquete «E eu creio...». O convite mantém-se de pé para todos os que desejarem participar. Pode ser um incentivo a outros para acreditarem e reanimarem a riqueza da vida com o caminho da fé. Somos exemplo uns para os outros e a utilidade da nossa vida radica aí mesmo na capacidade que temos para partilhar o que somos e vivemos, sem isso a vida não tem sabor e servirá para pouco. Por isso, continuo a aguardar a vossa participação. Obrigado.
E eu creio...
            Eu creio, mas preciso acreditar que creio mesmo...
Me busco na crença de que Deus é Amor, mas me perco na mesma crença quando vejo tanto desamor entre homens e mulheres, tantas traições, abandonos e maus tratos a crianças e idosos.
Me busco na crença que Deus é Paz, mas me perco nessa mesma crença, quando vejo jovens serem mortos traiçoeiramente, vítimas dessa sociedade que não lhes oferece opções de futuro promissoras.
Me busco na crença que Deus é Justiça, mas me perco nessa mesma crença quando vejo a injustiça na aplicação dos Direitos Humanos, injustiça na má distribuição de renda e nos julgamentos dos que não tem como se defenderem.
Me busco na crença que Deus é Perdão, mas me perco nessa mesma crença quando em meio a comunidade de fé, não visualizo esse ato de perdoar entre os que se dizem irmãos e continuadores da obra de Deus.
Me busco na crença que Deus é Bondade, mas me perco nessa mesma crença quando vejo o pedido de ajuda suplicante dos marginalizados e a negação dos que deveriam ser a mão que acolhe, escuta e reinsere-os na sociedade.
Me busco na crença que Deus é Aceitação, mas me perco nessa mesma crença quando vejo enraizado o preconceito existente a respeito das novas relações familiares, nas opções religiosas e no racismo tão clarividente nesses pais miscigenado.
Me busco na crença que Deus é Humildade, mas me perco nessa mesma crença quando vejo o orgulho e a ambição dos que usam o nome de Deus para buscarem a realização pessoal.
Enfim, eu creio, mas preciso crer mesmo Senhor, e te peço insistentemente que me ajude a continuar crendo, para que eu não perca a capacidade de sonhar e de buscar no exemplo do Homem de Nazaré a coragem de lutar por uma sociedade justa, humana e fraterna! 

5 comentários:

Pramos disse...

Bom dia!
Muito rica exta reflexão.
"Eu creio,..."
"...Me busco na crença...", me encontro nessa crença,
"...mas me perco ...", também eu me perco na antitese da vida.
Mas, viverei para sempre ou morrerei tentando.
Obrigada!
Paulina

Jani Miguel disse...

Eu creio no seu papel de humana Lucia Andrade Souza e partilho com você dia-a-dia essa luta de querer fazer o melhor pelos menos necessitados, gostaria muito de ser como vc insistente nesta luta tão árdua, mas vc sabe até onde posso lhe ajudar, conte comigo, pois, cremos e continuaremos crendo neste Deus maravilhoso, que nos renova a cada dia, sua discípula- Janicelia Miguel-Feira de Santana-Ba-Brasil

Rogério Braga disse...

Eu creio nas promessas do pai. Sei que neste mundo conturbado sempre serei tentado, más não corrompido pois creio em um Deus maravilhoso e poderoso que nos dá todos os dias a oportunidade de fazermos algo diferente , nos dá a oportunidade e vontade de poder melhorar a nós mesmos, de amar o próximo. Esse texto retrata a falta de amor entre as pessoas e sem isso meus amigos jamais haverá mudanças.
Boa tarde!!
Rogério Braga

ana maria kauppila disse...

Apenas um abraço grato e saudoso à minha querida Lúcia e ao Padre Zé Luis por guardar este cantinho para a partilha do Amor.

Uma lágrima emocionada e um abraço mais, com carinho.

ana maria

lucia disse...

Minha querida Ana Maria Kauppila, sinto muito a falta das tuas ricas partilhas no Facebbok! Um grande e afetuoso abraço!