Convite a quem nos visita

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Paisagem distante

Poema para vós em dia de luta e com votos de bom fim de semana...

Saio de mim na crista ondulante deste mar
Que desejo ardente feito procura em todos os cantos
Neste agora que me perturba diante da inconsciência
Da injustiça que poucos sobre os muitos infligem
Até ao fundo da alma mesmo que o sangue testemunhe
O crime do roubo que se faz contra o sentido.

Não me calo diante da paisagem que queria distante
Digo em nomes o que calam em silêncios calculados
Porque sei da verdade e do amor feito cálice para todos
Na comum fraternidade do tempo e da vida
Que Deus imolou na fonte da água viva na frescura de uma manhã.

Aqui estamos vendo e escutando o som presente
Que a sinfonia do horizonte desvela em glória
Um dom solene que retratam os pintores dos deuses
E assim fizeram numa jornada um quadro quente
Contra a barbárie e contra a comodidade
Que os poderosos anseiam como antídoto para nós.

Não, não... Digo não até à hora em que vislumbre o sol
A paz e a libertação no sorriso que a tez em festa
Testemunha quando pronuncio alegria.
José Luís Rodrigues

3 comentários:

José Caldeira disse...

Parabéns. Poema lindíssimo cheio de conteúdo e muito actual.
Cumprimentos

José Luís Rodrigues disse...

Muito obrigado José Caldeira. Tudo de bom para si... Cumprimentos.

rouxinol de Bernardim disse...

Poesia é quem mais ordena, mais sente, mais enobrece... Parabéns!