Convite a quem nos visita

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Maio, mês para celebrar o dom do trabalho

Maio é o quinto mês do ano civil. Diz o dicionário, em sentido figurado, que Maio é um indivíduo muito garrido; significa Primavera; tempo das flores que todas as pessoas gostam; também a palavra Maio foi aplicada a um conjunto de plantas que nascem ou florescem durante o mês de Maio.
Em Maio, logo no primeiro dia celebramos o dia do trabalhador. A propósito do início deste mês no ritmo anual que estamos a viver, vamos reflectir um pouco sobre o trabalho humano.
O Primeiro de Maio foi consagrado à «festa do trabalhador». Em 1889, um Congresso Socialista resolveu realizar no Primeiro de Maio uma campanha internacional a favor do dia normal de oito horas de trabalho. Entretanto, nalguns países esta data foi comemorada com greves, tumultos e reivindicações, noutros era celebrada como autêntica «festa do trabalho», tendo-se mantido estas duas facetas. Celebremos o dom trabalho neste contexto em que vivemos, onde ter trabalho tornou-se uma dádiva, uma sorte, coisa que não deveria ser assim, mas antes um direito, um valor que ninguém deveria ser privado dessa assunção.
O trabalho é a melhor mediação para a realização humana. Uma pessoa sem trabalho é uma pessoa triste e sem sentido para a vida. Os nossos dias são dramáticos para tanta gente que se vê nas malhas do desemprego. Uma fatalidade horrenda, porque arrasta consigo outras consequências não menos graves. As principais prendem-se com a fome, a pobreza e a miséria de tantas famílias. Diante do trabalho o ser humano abre espaço à sua inteligência e criatividade, faltando essa mediação a tristeza, a depressão o desespero ganham espaço no coração e na mente de tantos irmãos nossos. Porque estes dois aspectos humanos libertam a pessoa humana da servidão da preguiça e da crueldade da inutilidade. Quando não postos em prática o que isso acarreta de frustração e de tristeza.
O trabalho, não faz mal a ninguém. Pelo trabalho criativo cada um sente-se útil e está empenhado na construção do bem comum. Como seria a nossa sobrevivência se não houvesse trabalho? Porém, o trabalho humano não é só uma forma de ganhar dinheiro para comprar coisas, tal como pretende a nossa sociedade de hoje e como dita tantas vezes o nosso egoísmo e ganância. O trabalho humano é uma forma elementar de contribuir com a força e energia pessoal para a continuação da criação de Deus e para o bem-estar social/pessoal de toda a humanidade.
Deus foi e é o motor da criação toda. Mas em cada tempo da vida, Ele requer, sempre em liberdade, as nossas capacidades para sermos também co-criadores da Sua obra através do trabalho. 

Sem comentários: