Convite a quem nos visita

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Uma avalanche de impaciência

Mesa da palavra
Comentário à missa deste domingo
Domingo XI Tempo Comum
O Evangelho, que será proclamado nas missas deste Domingo, relata-nos a visita de Jesus a casa de Simão, um fariseu abastado e sábio. Nisto aparece uma mulher que se põe a chorar e a beijar os pés de Jesus. Perante esta circunstância qualquer um de nós afastaria logo a mulher dando-lhe um pontapé para que não nos incomodasse diante de tanta gente, porque a sua atitude, está a causar-nos vergonha, fazer-nos corar com os calores do incomodo e ainda mais violentamente reagiríamos, se soubéssemos que essa mulher era de má vida. Uma prostituta.
Porém, Jesus sabendo que esta mulher precisa do seu perdão e do seu acolhimento, deixa-a estar como está. Esta situação será útil para Jesus ensinar que não existe pecado nenhum que fique fora do perdão de Deus. Todas as pessoas têm lugar na mesa do perdão, basta que o desejo de reconciliação esteja bem presente no coração de todos.
Calculo que os olhares de desdém nesta ocasião tenham sido bastante apurados entre todos os convidados de Simão. Mas, Jesus sabendo do que se passa no seu coração interroga Simão com o seguinte caso, dois devedores, um que devia quinhentos denários e o outro cinquenta, como não tinham forma de pagar foram perdoados, qual deles ficará mais amigo do credor. A resposta é óbvia, «o que devia mais quantidade».
Se na lógica humana, funcionamos desta forma, porque não pode Deus fazer o mesmo na sua acção misericordiosa em favor da humanidade, no exercício do perdão. Não há preço nem medida para a prática do perdão. Deus distribui a sua misericórdia a todos, basta que a força do arrependimento seja uma realidade no coração de todos.
Com este facto da mulher que lava os pés de Jesus com as lágrimas e os beija, pretende-se chegar exactamente ao ponto central da questão. Esta mulher que chora e beija os seus pés de Jesus, parece ser uma pecadora, isto é, segundo a mentalidade geral, era uma mulher de vida prostituída, devia ser logo repudiada por Jesus, se realmente Ele se diz profeta. Como é tão frequente este puritanismo sórdido... 
Neste tempo, o gesto de Jesus cala fundo. Esta sociedade, tomada por poderes que sugam tudo quanto podem, que marginalizam os doentes, os pobres, os idosos, os falhados (os sem sorte)... Ferindo de morte todas as perspectivas de futuro de um povo inteiro. Então, abundam os pontapés de uns contra os outros, porque falta o respeito, a sobriedade, a humildade e a vontade de chamar todos para a mesa da felicidade. Este ambiente, conduziu à intolerância face aos outros, à irritação perante as defeitos e as mazelas que acompanham cada pessoa. Há uma avalanche de impaciência preocupante. Jesus provoca-nos com esta lição de paciência, respeito e perdão perante esta mulher que se humilha, mas que logo de seguida Jesus exaltam, porque procurou a transformação e o encontro consigo mesma.
Nós precisamos deste abaixamento, para nos transformarmos e logo de seguida termos condições espirituais, humanas e sociais para fazermos uma sociedade mais justa e fraterna. 

1 comentário:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís Rodrigues, Amigo e Irmão, este seu magnífico texto faz-nos fluir para a grande caminhada da Transformação. Quem se não modifica não é digno de se chamar cristão. O Perdão é mudar de vida, de atitude. Essa tal metanóia, que é apanágio de todos aqueles e todas aquelas que se querem ficar conturbados e perturbados quando vivem situações de ódios, alienações,de desprezo pelos outros. Os Estados são assim uns para com os outros; essa Mulher logo que viu a atenção de Jesus para com ela, no gesto de Amor, logo transfigurou-se,mudou logo o rumo da sua vida. Hj atiramos mais facilmente a pedra do que verificar que tb temos o argueiro no nosso olho.E ficamos cegos à novidade e ao Evangelho. O lucro pelo lucro.O negócio só de tudo querer para si é anti-cristão e anti-evangélico. Pois,só os POBRES entrarão no Reino de DEUS. Só os portadores do PERDÃO. Porque tudo ganham e nada perdem com a atitude de humildade,de simplicidade e de entrega total.A Deus e aos Irmãos e Irmãs.