Convite a quem nos visita

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Campanhas que enchem barriga

Apetece-me começar com a frase que descobri um dia num artigo de jornal quando ainda era estudante, levei-a ao meu saudoso professor de Latim, professor Mata, que nos presenteou com uma boa parte de uma das suas aulas analisando-a em todos os seus aspectos, tal lição marcou-me tanto que para a minha conduta de vida nunca mais a esqueci, diz assim: «Timeo Danaos et dona ferentes» - receio os gregos mesmo até quando eles me dão dádivas. Algum povo, que se deslumbra com pequenas dádivas, devia pensar que já está pagando tudo isto com suor e lágrimas. A vida está dura demais para alguns e não se aliviará esta dureza com caridades partidárias, mas com justiça. Pão e circo só enche de poeira os olhos e em algumas horas a barriga.
As festanças, o circo continua… De onde apareceu tanto dinheiro para as festanças e ramboiadas que alguns partidos estão a realizar nesta campanha autárquica? Quem vai pagar estas festanças? – Ó democracia triste, o que te fizeram? – Dizem-nos que dos piores sistemas políticos é o melhor. Porque nela para o bem e para o mal, há um homem um voto, mas tendo em conta o que é possível ser feito em democracia, teria de haver alguns homens que apenas deveriam valer meio voto.
Mas, é o povo ou eleitores que temos. Com pouco se diverte e embriagado com pouco se contenta. A seguir mais pouco ou nada se importa com eleições ou simplesmente não vai votar ou faz cruzes em todos os quadrados do boletim de voto ou risca ou rasga, inutilizando a sua «pequena» (é verdade, pequena) parcela de participação. A irresponsabilidade é sim o pior veneno que vai matando a democracia. A austeridade e sofrimento que a crise trouxe, deveria ter proporcionado alguma consciência e maturidade às pessoas, mas pelo que se vê ainda, falta mais alguma coisa para que alguém aprenda o suficiente.
Até ver, aguardemos o que virá depois. Não se queixem depois que a fome bateu à porta, os que andam de festança em festança agora a encher a barriga. Quando será o dia que todos irão pensar de verdade, que eleições não dizem respeito só e apenas aos que se elegem, mas tem que ver com todos nós e com a vida concreta do nosso dia? – Até continuo esperançado que a verdade sempre tenha mais força do que todas as dádivas segundo intencionadas que por aí vão sendo semeadas. 
Para complementar esta reflexão, não deixem de ver e ouvir o seguinte comentário... É a cereja em cima do bolo:

Sem comentários: