Convite a quem nos visita

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A Transmissão da fé em família

No fim-de-semana transacto realizou-se em Fátima no Centro Pastoral Paulo VI o encontro Nacional das equipas de Nossa Senhora (ENS), sob o tema: «A Transmissão da Fé em Família». 
O encontro serviu para a partilha de experiências da vida em casal/família, para tomar conta das enormes sensibilidades que povoam nas muitas equipas existentes nosso país e no mundo, mais ainda centrou-se a partilha na formação cristã, humana e familiar com três conferências com elevada profundidade, resta salientar que a oração esteve presente em muitos momentos marcada com a beleza, a profundidade e o sentido apurado do convite à interioridade.
Podemos enquadrar esta nossa reflexão/testemunho sobre este encontro de casais nacionais em três dimensões: o encontro, a oração e a formação.
1. O encontro. Quando estes momentos congregam assim tantas pessoas vindas dos quatro cantos do país (a informação destacava o número de 1200 pessoas), servem para que as diversas experiências matrimoniais, a vida familiar, o convívio nas equipas sejam efectivamente partilhadas no universo nacional. O crescimento familiar e humano precisa desta partilha ou antes precisa de saber-se integrado num universo mais vasto que não aquele em que se circunscreve a ilha, o grupo de casais onde se integra ou até mesmo o seu circuito familiar. As diversas experiências ajudam a quebrar o isolamento, abre o coração ao convívio fraterno e proporcionam a abertura para a riqueza da amizade. Aliás, elementos essenciais, para a assunção da vida nos nossos dias que tanto precisa de encontro, de proteção mútua e de apoio sincero, desinteressado de todas as frentes da existência. Mais ainda faz sentido esta constatação se nos concentrarmos na vida familiar, que se vê hoje bombardeada com tantos desafios e provocações.
2. A oração. O encontro nacional das ENS, como não poderia deixar de ser, fica sempre marcado pela oração. São vários os momentos de interioridade onde se destaca a oração da manhã, as Laudes, devidamente preparadas com nobres vozes e instrumentos que fazem entoar os salmos até à dimensão espiritual da vida. Foram um momento solene de interioridade, de reflexão e de encontro com Deus e connosco mesmos. Obviamente, que tendo em conta o lugar onde se realizou o encontro não podia faltar a sempre intrigante reza do terço e seguido de procissão de velas. No último dia a celebração da Eucaristia marca também este momento como saudável partilha do amor de Deus que se distribui na Palavra e no Pão do altar. Serve este momento para o enorme de silêncio e para o encontro fraterno, onde se escuta os ensinamentos de Deus para a continuação da vida em casal, em família, na sociedade e no mundo.
3. Por último, destaque-se a formação. Esta dimensão do encontro nacional das ENS, fica preenchido com três altos momentos de reflexão e de formação para o aprofundamento cristão e humano das equipas de casais e particularmente dos casais presentes no encontro. Podemos falar de formação humana, espiritual e teológica.
A primeira conferência foi proferida pelo Pe António Augusto, da Diocese do Porto, «A fé, Vida e Família: o papel da família na educação para fé». A segunda ficou a cargo de D. Manuel Clemente, Patriarca de Lisboa, «Pensar a Família hoje: Viver e transmitir a Fé» e a terceira foi proferida em francês pelo Pe Paul-Dominique Marcovits, «Transmitir a Fé em Família: o Pe Caffarel, o Matrimónio e as ENS».
Os conteúdos dos três conferencistas, obviamente, que pouco divergiram. Cada um ao seu modo apresentou novidades, desafios e propostas interessantes para o debate que muito longe anda de estar esgotado. A conclusão principal que se tira é que a família hoje está num processo de viragem que ainda não se vê onde vai parar. Os desafios são imensos. E todos os contributos devem ser tomados a sério e com espírito aberto. Ninguém tem a verdade única e absoluta sobre este mundo novo onde se insere a vida familiar nos tempos de hoje.
Não terá sido por acaso que embora não tinha feito parte do programa do encontro, as conversas pessoais com alguns casais alinhavam claramente nos temas que vão marcando a actualidade. Não passou despercebida a notícia que dava conta que o Papa Francisco (Vaticano) enviou a todo o mundo um questionário, onde constam perguntas bem concretas sobre assuntos prementes relacionados com a família, que requerem uma urgência muito grande quanto à necessidade de serem debatidos. Eles são, o divórcio, os casais separados monoparentais e recasados, a contracepção e os casais gays que adoptam crianças e que para todos os efeitos formam uma família.
Por fim, resta salientar que este momento de encontro a todos níveis foi enriquecedor para que a nossa vida se faça com um espírito cada vez mais aberto a todos os desafios por que passam as nossas famílias. Abrir o coração a esta realidade não deve ser apenas mais um momento entre tantas coisas que vamos fazendo na vida, mas uma necessidade urgente. 

1 comentário:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

A oração em família quase desapareceu aqui por perto.
Comparativamente com a sociedade Há cinquenta anos parece que somos uns ateus...