Convite a quem nos visita

quinta-feira, 8 de maio de 2014

O bom pastor sabe o que é o bem para todos

Comentário à missa deste domingo IV da Páscoa (11 maio de 2014)
 Jesus é o Bom Pastor, que nos chama e nos convoca para a verdade da vida como dom do seu amor. E aceitar este dom maravilhoso de Deus Pai, é acolher a verdade plena na nossa existência e, sobretudo, prepara-nos desde logo o caminho da eternidade. Pois, reparemos no que dizem as palavras de Jesus: «Eu dou-lhes a vida eterna e nunca hão-de perecer». Esta certeza de salvação é pronunciada pela voz de Jesus, que se mostra mestre da vida e da libertação total de tudo o que ponha em causa o amor, a paz e a inquietação interior vinda das misérias deste mundo.
O Papa Francisco disse com clareza o seguinte sobre o pastor: «Um pastor vaidoso não faz bem ao povo de Deus (...) Não segue Jesus, prefere a vaidade, prefere pavonear-se (...) A vaidade é perigosa porque faz imediatamente escorregar no orgulho, na soberba (...) Esse pastor não segue a Jesus, prefere a vaidade (...) Outros seguem a Jesus interessados no poder, usam a Igreja para subir. Vai ao norte e faz alpinismo, é melhor! Jesus reprova esses alpinistas do poder» (Papa Francisco, na homilia desta segunda-feira, 05-05-2014). Tudo isto se aplica aos pastores religiosos, mas também aos políticos e os que estão em qualquer serviço onde implique o poder perante o bem público, porque no mundo antigo e na Bíblia, «pastor» não se aplica tanto aos líderes religiosos como aos reis, aos «príncipes», aos políticos que devem conduzir o povo com justiça, equilíbrio social, e a preservar todos sem deixar ninguém para trás, o que torna estas palavras do Papa ainda mais fortes.
Tudo o que seja verdade radical do amor, nunca é demais para ser vivido no dia a dia, porém, não podemos dizer que essa possibilidade salvadora seja realmente fácil de ser vivida. Não, não é fácil enquadrar o nosso viver com esses valores que a mensagem de Jesus nos mostra, porque as circunstâncias do nosso quotidiano estão sempre marcadas por tantas tentações que nos desviam do caminho certo do amor e da felicidade.
No entanto, nada de bom se consegue sem uma força de vontade interior muito grande. As coisas boas conquistam-se a pulso, com muita paciência e muita persistência. Os cristãos, são chamados a serem gente de esperança e nada os deverá demover do caminho de Deus e do seu projecto de salvação.
É fácil ser enganado por charlatães ou por pessoas sem escrúpulos que não se importam nada com a distinção entre o que é certo e o que é errado. Assim, será sempre muito mais importante, cada um de nós escutar profundamente a voz da verdade e do amor. 

Sem comentários: