Convite a quem nos visita

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Deus Pai/Mãe, o Filho e o Espírito Santo

 Comentário à missa do domingo da Santíssima Trindade
 15 junho de 2014
Quem é a Santíssima Trindade? Quando falamos da Santíssima Trindade, é do nosso Deus que falamos. O Deus dos cristãos é trinitário, isto é, constituído por três pessoas: Deus Pai/Mãe, Deus Filho e Deus Espírito Santo. O Pai/Mãe, é Deus omnipotente incriado e que preside a toda a criação. O Deus Filho, é o enviado pelo Pai, revela o Pai/Mãe plenamente e envia o Espírito Santo, que é o resultado do amor entre o Pai/Mãe e o Filho. Isto é, mostra-nos o rosto verdadeiro do Pai/Mãe. Um Pai/Mãe amoroso que não desiste de salvar todos os homens e que pacientemente espera pela remissão de toda a natureza humana (podemos lembrar aqui a famosa Parábola do Filho Pródigo).
O Filho, foi enviado pelo Pai/Mãe para anunciar a Boa Nova da justiça ou da salvação de toda a humanidade, Ele é o rosto visível do amor que informa a Trindade. Será da boca do Filho que recebemos a promessa do envio do Espírito Santo, o outro Deus da Trindade. 
O Espírito Santo, é aquele que vem depois de Jesus para acompanhar todas as acções humanas em favor da causa de Deus. Ele é o Espírito da verdade. Ele nos guiará para a verdade plena. Porque o Espírito Santo, pode ser definido como aquele que unifica as três pessoas da Trindade, Ele é o nome do amor de Deus.  
A celebração da Santíssima Trindade, abre-nos caminhos para o exemplo de como podemos e devemos viver. Ninguém se realiza sozinho. Cada um de nós só é capaz de futuro, se acolher a riqueza da dimensão comunitária da vida humana. O que seria da nossa existência se não fossemos capazes de reconhecer a importância da vida dos outros para a nossa realização pessoal? Está mais que provado que ninguém é capaz de viver totalmente isolado, todos necessitámos de ser e viver em comunidade. 
A Santíssima Trindade, é antes de mais uma verdadeira comunidade. A comunhão é o seu elemento principal, por isso, não nos surpreende a expressão de intimidade de Jesus: "Tudo o que o Pai tem é meu". Esta formidável riqueza de comunhão serve de exemplo ou revela-se como desafio para a nossa vida de cristãos e para todos os homens de boa vontade. 
Como enquadrar o mistério da Santíssima Trindade na nossa vida concreta? - Sim falamos de mistério, porque, por mais que se diga, por mais que se faça e por mais que se acredite, a Santíssima Trindade será sempre o mistério dos mistérios. Pois, não serão os pensamentos e as palavras humanas que traduzirão o que é e o que representa este mistério. Assim sendo, mais do que dizer deste mistério, o melhor será fazer silêncio diante Dele. Este é um mistério mais para ser contemplado do que para ser dito ou mostrado. É um mistério inefável, próximo e distante ao mesmo tempo, que nos envolve. Esta riqueza de comunhão revela-se como desafio para a nossa vida de cristãos e para todos os homens de boa vontade. Mais ainda para o mundo que, teimosamente, «criamos» carregado de egoísmos e de individualismos cerceadores. 

1 comentário:

José Ângelo Gonçalves de Paulos disse...

Padre José Luís Rodrigues, Irmão e Amigo, palavras tão bonitas que nos são ditas neste seu magnífico texto. Tenho um livro de Leonardo Boff "Santíssima Trindade - é a melhor comunidade." Mais do que capitalismos e de socialismos temos a Trindade Santíssima. Essa magnífica Tríade que todos os dias nos interpela e faz-nos fluir e impelir para um mundo sempre novo. Todas as inaugurações provindas deste Mistério dissipam todas "as curvas das estradas" título de um livro de Ferreira de Castro e por mais obstáculos que encontramos por esses insípidos caminhos, DEUS é sempre a Novidade Suprema do Homem e da Natureza.