Convite a quem nos visita

quarta-feira, 23 de julho de 2014

O Céu e o Inferno

Um Samurai alto e forte, de carácter violento e rude, foi procurar um pequeno Monge, calmo e muito pacífico... o Monge - disse autoritariamente - ensina-me o que é isso do "Céu" e do "Inferno"! O Monge, franzino, olhou para o temível guerreiro e respondeu com a mais absoluta calma: "Ensinar-te algo sobre o céu e o inferno? A ti? Nem pensar!
Eu não te posso ensinar coisa alguma! Olha bem para ti, estás imundo, diria mais, nojento! O teu cheiro é insuportável. A lâmina da tua espada está enferrujada, és uma vergonha, uma humilhação para a classe dos Samurais. Some-te da minha vista! Não consigo suportar a tua presença horrorosa! O Samurai nem queria acreditar no que estava a ouvir. Por instantes ficou boquiaberto, mas logo reagiu: as palavras do pequeno Monge fizeram eco dentro de si e a fúria veio à superfície como um vulcão quando entra em erupção.  Então o Samurai estremeceu de ódio, o sangue subiu-lhe ao rosto, e mal conseguiu dizer uma só palavra de tanta raiva. Num gesto rápido, empunhou a espada enferrujada, ergueu-a sobre a cabeça e preparou-se para decapitar o Monge. Nesse mesmo instante o Monge disse-lhe sem pestanejar: "Aí está... isso... é o Inferno." O Samurai, mais uma vez, ficou pasmado e deteve-se. Testemunhou a serenidade, a compaixão e absoluta dedicação daquele pequeno homem, que colocou a própria vida em risco para lhe ensinar algo.
O Guerreiro baixou lentamente a espada e, cheio de gratidão subitamente pacificado pela sabedoria daquele ser, baixou os olhos e a cabeça numa atitude de humildade. Nesse mesmo segundo, o Monge disse-lhe com serenidade:  "Aí está... isso... é o Céu."                                                                  Reiki - As Raízes Japonesas

Sem comentários: