Convite a quem nos visita

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Jihadistas por todo o lado

Está a circular a notícia divulgada pelo «Observatório Romano», que o Papa Francisco se referiu aos rumores de um ataque contra a Santa Sé pelos jihadistas, na homilia do último sábado. O Papa Francisco disse aos polícias do Vaticano, em relação a uma suposta ameaça jihadista contra o Vaticano, «há bombas dentro», referindo-se ao que ele chamou de «fofocas», informou L'Osservatore Romano. Falou neste teor: «Eu quero vos dizer uma coisa triste, bombas no interior, há bombas muito perigosas dentro». E que «a pior bomba dentro do Vaticano são as fofocas» - Eis aquilo que entre nós designamos de «bilhardice».  
Não é a primeira vez que Papa Francisco se refere aos «rumores», «calúnias» ou «boatos». Já em fevereiro último tinha declarado aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, que «a fofoca pode matar, porque ela mata a fama das pessoas». O Papa disse na altura: «Pode parecer engraçado, mas depois a fofoca enche o nosso coração de amargura e envenena-nos a nós mesmos». Nem mais. Todos os rumores que se baseiam na calúnia e na boataria provocam sofrimento e tristeza.
O Papa Francisco tocou numa ferida que é transversal a toda a Igreja. Não é só o Vaticano que está armadilhado. Não é só o Vaticano que tem esta «bomba perigosa». São todas as Igrejas nacionais, todas as dioceses, todas as paróquias e todos os grupos dentro e fora das igrejas. A humanidade consome-se assim armadilhando-se na calúnia desenfreada porque a inveja comanda a vida e ocupa os corações de tanta gente.
Por isso, esta denúncia do Papa bate certeira no Vaticano e em todos os lugares do mundo onde há pessoas. Entre nós existe como «alimento» quotidiano. A mentira torna-se verdade à velocidade de um raio. A calúnia comanda a vida e é luz que ilumina a mente de tanta gente. O boato é regra para vencer na vida e ganhar dinheiro. O rol pode continuar. Fica-nos estes elementos entre tantas outras «bombas fofoqueiras» que se vão inventando por todo o lado, para fazer do mundo um verdadeiro inferno.
Afinal, Papa Francisco, jihadistas, há-os por todo o lado, infelizmente. 

Sem comentários: