Convite a quem nos visita

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

A firmeza do Papa na abertura do Sínodo sobre a família

Esperemos que esta foto não represente
senão a solidão do Papa Francisco
para escutar eficazmente a voz do Espírito Santo. 
O Sínodo sobre a família começou em Roma, no Vaticano. O Papa Francisco fez a abertura com palavras duras e com apelos bem concretos ao debate, à escuta atenta do que diz o povo de Deus e a que se deixem conduzir pela voz de Deus, que na Igreja Católica se diz ser o Espírito Santo. Neste contexto alertou o Papa: "Podemos frustrar o sonho de Deus, se não nos deixarmos guiar pelo Espírito Santo. O Espírito dá-nos a sabedoria, que supera a ciência, para trabalharmos generosamente com verdadeira liberdade e humilde criatividade." (Papa Francisco durante a Missa que abre o Sínodo extraordinário do Sínodo dos Bispos, no Vaticano).
Pediu o Papa para que ninguém "imponha fardos pesados a ninguém", que não se cale a voz de Deus nem muito menos que se deixe de escutar e ver os lamentos dos sofrimentos de tantos casais que desejam o restabelecimento da comunhão com Igreja e que lhes seja concedida a possibilidade de "acederem" à misericórdia de Deus. Para tudo o isto o Papa deseja debate sério e livre. Por aqui alguns consideram que o Papa Francisco trouxe "a liberdade de expressão" na Igreja Católica. Porém, fica esta ideia que circula no facebook que a expensas do Ministério da Justiça do Brasil sobre a liberdade de expressão: «Liberdade de expressão é o direito de manifestar livremente opiniões e ideias. Entretanto, o exercício dessa liberdade não deve afrontar o direito alheio, como a honra e a dignidade de uma pessoa ou determinado grupo. O discurso do ódio é uma manifestação preconceituosa contra minorias étnicas, sociais, religiosas e culturais, que gera conflitos com outros valores assegurados pela Constituição, como a dignidade da pessoa humana. O nosso limite é respeitar o direito do outro».
Por fim, que todos nós retenhamos esta ideia essencial de Frei Miguel Grilo: «Estarão os que defendem o SIM preparados para aceitar o NÃO que sair deste Sínodo? E os que defendem o NÃO preparados para aceitar o SIM? Defender o seu interesse e ideologias pessoais é muito fácil... mas espero agora que no final sejamos todos capazes de abdicar dos nossos interesses e ideologias para aceitar aquilo que é a orientação da IGREJA».
Rezemos pelo Papa Francisco. Nunca foi tanto necessário como agora ter em conta esta intenção especial nas nossas orações, porque as investidas dos conservadores e tradicionalistas na Igreja foram tão fortes contra o Papa. 

Sem comentários: