Convite a quem nos visita

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O impulso renovador do Papa Francisco provoca tensão

O documento-reforma da Cúria Romana no número 13 é muito claro:
- «Evitar admitir pessoal proveniente de um ambiente eclesial que tenha uma linha de pensamento e de ação não equilibrada».
- «Acabar corajosamente com a tendência de associações, movimentos eclesiais e institutos religiosos para ocuparem ofícios e postos nos Dicastérios conseguindo assim vantagens particulares». O ambiente para os lados do Vaticano andam tensos. Temos nós de rezar e apoiar o impulso renovador do Espírito Santo que se personificou no Papa Francisco.
Os vários serviços do Vaticano estão pejados de gente vinda de grupos tradicionalistas e conservadores, que se instalaram ali para conseguir proveitos para os movimentos a que pertencem. O Papa Francisco parece determinado a pôr um fim nisso. Mais uma vez se confirma a denúncia corajosa do Papa Bento XVI a quando da sua resignação.
O enquadramento dessa tal denúncia do anterior para radica no Evangelho, em Mateus 24, 28 que diz o seguinte: «onde houver um cadáver ali se juntarão os abutres». Esta passagem cumpriu-se de forma perfeita na ocasião do funeral do Papa João Paulo II, quando do mundo inteiro os abutres chefes rodeavam o caixão. Abutres das nações e abutres que operam dentro da Igreja. E continuam bem vivos nas chefias dos povos das nações e outros bem instalados nos grupos ostensivamente rendados e seguros no comodismo do seu conservadorismo, porque a salvação não é universal, mas apenas e só para alguns, os eleitos, os chamados.  
O Papa Bento XVI falou em «corvos» e o Evangelho fala em «abutres», a diferença está apenas no tipo de ave, há também o «abutre», a função de ambos é mexer em carne podre. Eis uma expressão terrível para designar o estado das coisas num determinado lugar ou situação.
Assim, tudo pode acontecer bem diferente do que planeiam as ditos «conservadores», e muito diferente do que nós imaginamos. Devemos também suportar calmamente as demoras de Deus, porque elas esperam a nossa conversão e paciência. Estou seguro que o Papa Francisco está em segurança em todos os aspetos e que não vencerá a besta que pretensamente deseja puxar para trás o impulso renovador da ação do Espírito de Deus.

Sem comentários: