Convite a quem nos visita

sábado, 4 de abril de 2015

Páscoa

Singelo poema para esta Páscoa. Sejam felizes sempre sem nunca prejudicar ninguém...
Soma-se uma traição
um processo cheio de injustiça
uma morte vertical
que o silêncio da tarde
proclamou no amor para todos
pela horizontalidade da palavra.
- És a cruz do amor.

Neste sentido da passagem
os povos sonham a libertação
da servidão do mundo
que o ódio destina pela crueldade
e a perdição que se consola na fé.
- És a esperança do amanhã.

Porém contemplamos uma flor
que os olhos desvendam
na paisagem do túmulo inerte
no jardim do som e vazio da solidão
que depois testemunham
os pássaros mais umas árvores
frondosas na manhã maior do mundo.
- És uma alegria incontendia.

Nunca será demais a alegria que uma brecha
deixa ver no assombro de uma luz
que os ramos embalados pela brisa da fé
vertem no sorriso a certeza
- És a luz da Páscoa.
José Luís Rodrigues

Sem comentários: