Convite a quem nos visita

terça-feira, 21 de julho de 2015

A bruxaria

Provavelmente, é dos capítulos mais curiosos e interessantes da história da Madeira...
A bruxaria ou feitiçaria na Madeira tem sido uma realidade transversal a toda a sociedade em todas as épocas históricas desde o seu povoamento. A figura mais marcante deste elemento acentuadamente característico da sociedade madeirense foi o famoso «Feiticeiro do Norte». Quem era o «Feiticeiro do Norte»? - Foi Manuel Gonçalves, que nasceu na freguesia do Arco de São George na década de 60 do ano de 1800, ficou mais conhecido com a alcunha de «Feiticeiro do Norte», é uma camponês analfabeto e sem qualquer grau cultural significativo, que aos 40 anos de idade, começou a revelar uma magnífica aptidão para a improvisação de trovas e cantigas populares, que alcançaram grande fama entre as gentes populares da ilha da Madeira.
Ao som de um rajão, numa melodia monótona e melancólica, cantava o Feiticeiro as suas composições em verso, que, pela sua originalidade e caráter pitoresco, sobretudo, quando o assunto se tratava com algum humor e apimentado quanto baste, despertava grande interesse e era avidamente escutado por grande número de populares. Este atrativo animava sobremaneira diversos arraiais na Madeira.
Porém, basta-nos salientar a feitiçaria e a bruxaria está impregnada na mentalidade do povo madeirense e comanda a vida quotidiana mais do que tudo aquilo que possamos imaginar.
A bruxaria e/ou feitiçaria, prende-se com tudo o que sejam artes mágicas que impliquem atitudes esotéricas, rezas a Deus, aos Santos, Nossa Senhora e no caso da magia negra ao diabo, para espantar todas as formas onde o mal esteja presente ou que possa vir a ser uma realidade, provocado pelos maus olhados e pela inveja.

Sem comentários: