Convite a quem nos visita

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Quando o fundamentalismo é católico

Pois, já não deveria existir... Mas existe. O fundamentalismo também às vezes vem dos meios católicos. Vamos a vinte momentos onde podemos considerar quando o fundamentalismo é católico.
1. Quando há gente pretensamente com muita fé e anunciar que têm Jesus no coração, considerando-se por isso melhores que toda a gente. Tudo inventam para menosprezar o trabalho dos outros e alimentam-se da intriga ou da maledicência irresponsavelmente sem que tenham em conta o mais elementar princípio de educação, que é respeitar os outros;
2. Quando só esses tais consideram que só o que fazem é que está bom e serve a fé, o que os outros fazem e vivem, porque não lhes permitiu brilharem, não serve para nada;
3. Quando há gente que se convenceu que só eles é que sabem o que é a fé e podem por isso designar onde está ou não Jesus, pois, se outra coisa lhes escapou e sai do seu fechado pensamento, deve ser banido;  
4. Quando vemos que a prática religiosa não corresponde nada com a prática da vida social, profissional e familiar;
5. Quando não há lugar para o diferente e para a diversidade;
6. Quando semeiam o medo face ao mundo e às suas sempre plurais nuances;
7. Quando não temos lugar para refugiados. Já temos pobres e sem abrigo que chegue;
8. Quando só dizem obedecer ao Papa quando Ele fala de fé, mas reagem negativamente se o Papa desafia à militância contra a injustiça e à luta pelo bem comum da humanidade;
9.Quando são compassivos e quase compreensivos perante o terrorismo que resulta do fundamentalismo islâmico;
10. Quando apontam que a religião deve ser folclore e sentimentalismo apenas;
11. Quando fazem das igrejas por onde saltitam redutos do proselitismo;
12. Quando não há espaço e momento nenhum para descortinar vestígios de Deus nas expressões culturais da humanidade;
13 Quando se faz verdade absoluta as mentiras que proclamam em nome das fezadas que alimentam para ganharem dinheiro e darem nas vistas;
14. Quando já são santos aureolados e se convenceram que lhes nasceu asas nas costas, não passam pelo pecado, porque pecadores são só os outros;
15. Quando passam a vida a dizer mal de tudo e de todos os que não fazem parte do seu grupo;
16. Quando consideram que as asneiras que fazem e dizem é a suprema sabedoria e que estão sempre inspirados pelo divino;
17. Quando descobriram que sem eles o mundo não avança e alimentam-se da inveja que se expressa no dizer por dizer asneiras contra o trabalho dos outros;
18. Quando fazem da religião uma pastilha elástica, enquanto dura o doce aguentam bem e os que proporcionam o doce são postos nos cornos da lua, mas quando o doce acaba, são remetidos ao inferno como se fossem os piores diabos;
19. Quando a vida deixa de ser um prazer para ser vivido na liberdade, sem que nenhuma mediação de Deus oprima;
20. Quando a «misericórdia deixou de estar na base do ser cristão» (Papa Francisco) e vivem dominados pelo pensamento único e, por isso, não permitem a criatividade ou a ousadia do Evangelho que é sempre Nova para cada tempo novo que a história sempre nos vai revelando;
Desventurados sejam todos aqueles e aquelas que se alimentam desta massa tenebrosa. Mesmo assim... Rezemos e lutemos contra o fundamentalismo, que não luta com bombas e balas, mas luta contra as palavras do rancor e do ódio. O veneno que continua a destruir o mundo e a humanidade.

Sem comentários: