Convite a quem nos visita

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

O que se passa com o Banif?

Mas o que é isto mais uma vez?
Este capitalismo não nos serve e pelo que se vê não serve para nada. Chega, não suportamos mais esta indignidade. Uns fazem o que entendem: roubam, aldrabam, desviam e  etecetera. Com esta brincadeira de péssimo gosto, informa a comunicação social que os portugueses já deram cerca de 13 mil milhões para salvar a banca.
Em mais um dia tenebroso veio a prenda de Natal do sr. Capitalismo. O governo é forçado a vender o Banif por 150 milhões, o Estado terá que injectar 2,2 mil milhões que serão mais uma carga sobre os espoliados contribuintes.
Mas precisamente neste mesmo dia o mordomo mor deste mal fadado país, instalado no casulo parasitante, chamado de Presidente da República, condecora figuras que em muito devem ter contribuído para o fim Banif...
Mas o mais engraçado desta novela ainda se ouve dizer que os cidadãos têm um ódio de morte contra a banca. Pudera, o que se esperaria. A banca que espezinha até ao tutano o simples e pobre cidadão quando precisa de um singelo empréstimo ou quando faz o mais elementar deste mundo, pedir à banca que seja gestora das suas paupérrimas poupanças.
Porém, ao mesmo tempo beneficia as grandes empresas, que andam entretidas com jogos de casino ou fazer negociatas pouco transparentes predominando as artimanhas e os artifícios financeiros, que conduzem aos desfalques e às crises da banca que depois têm que ser quase incondicionalmente socorridos pelo Estado à conta do pobre cidadão. Também não se percebe porque são salvos os bancos e o oceano de empresas que têm ido pelas canas dentro ninguém salvou nem muito menos se importaram que tivessem lançado na miséria do desemprego milhares de pessoas, que por arrastam lançam na incerteza e na pobreza as famílias. Por isso, chega e não suportamos mais esta dualidade de critérios profundamente injustos.
Cuidado não se distraiam com as delícias e a magia do Natal. Enquanto isso, alguns vão fazendo o seu caminho à conta de muita distração e muita bebedeira.

2 comentários:

cid simoes disse...

"Este capitalismo não nos serve". Há algum que nos sirva?

José Luís Rodrigues disse...

Tem razão nenhum "ismo" serve para ninguém nem para nada... Fez bem lembrar.