Convite a quem nos visita

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Caminhar com Jesus

Uma breve reflexão para quem vai à missa (e não só). Domingo IV tempo comum...
A tendência humana mais frequente, é reconhecer desde logo que o que é de fora é que é bom. Não valorizamos o que somos e o que temos dentro da nossa casa. Quantos filhos só se dão conta que realmente amavam de verdade os seus pais só depois de eles terem morrido?; E quantas coisas só são realmente importantes quando não as temos? - A vida parece ser um pouco estranha e cada um de nós ainda mais estranho que a própria vida.
Por isso, segundo Francisco, a «novidade do Evangelho» consiste em «dar-se a si mesmo, dar o coração aos inimigos» para não ser apenas uma «troca» e faz refletir muito a partir dos verbos que Jesus usa - «amai, praticai o bem; abençoai; orai, oferecei, não rejeiteis; oferecei». Adiantou mais ainda: «Jesus com isto mostra-nos o caminho que devemos seguir, um caminho de generosidade», revelou o Papa, que assinala que Jesus pede também aos cristãos que «pratiquem o bem» àqueles que os «odeiam» ou que abençoem «quantos os maldizem».
Jesus irrita os seus conterrâneos, porque as suas palavras são um desafio contra a mesquinhez das ideias religiosas. Numa das suas homilias o Francisco fez a exortação a não julgar: «Muitas vezes parece que nos nomearam juízes dos outros, mexericamos, falamos mal, julgamos todos».
Todos nós agarramo-nos a coisas de pouca importância e fazemos disso o centro da vida e do mundo. A teimosia é um grande mal que afecta todas as famílias.
As palavras que nos dizem ou os conselhos que nos transmitem muitas vezes têm uma recusa imediata porque não temos vontade nem paciência para receber nada que venha de pessoas nossas conhecidas. Quando sabemos da vida de cada um é difícil escutar as suas palavras. Jesus é uma companhia que desafia para a verdade da vida e que nos desacomoda da superficialidade e banalidade da vidinha pessoal. Porque «Ser cristão é tornar-se insensato, num certo sentido. Renunciar àquela esperteza do mundo para fazer tudo o que Jesus nos diz» (Papa Francisco).
O Papa Francisco já nos apontou que «caminhar com Jesus» é andar na «misericórdia» e salientou que «a vida cristã não é autorreferencial» porque «sai de si mesma para se dar aos outros». «É um dom, é amor e o amor não é egoísta, dá-se», acrescentou.
É muito importante que nos deixemos conduzir por este Jesus próximo, amigo e companheiro que vem à nossa terra, à nossa casa e à nossa vida para nos mostrar o caminho da eficácia salvadora. Nisso está a felicidade. Esta é a Boa Nova do Reino de Jesus. Como é belo o amor dos nossos próximos...

Sem comentários: