Convite a quem nos visita

terça-feira, 7 de junho de 2016

O testemunho cativante de uma jovem modelo

Gostei muito de ler a conversa que a revista do Diário de Notícia publicou neste domingo (5 de junho 2016) com a Anaïs Pinto, a jovem «metade» francesa e «metade» portuguesa, madeirense. É modelo e animadora de turismo. Mais do que isso é um grande exemplo para os jovens, que andam para aí deprimidos, sem que usem a inteligência e vontade para progredir e serem criativos. Ficar à espera que chegue à porta o que se sonha não é o melhor caminho. Parece que perseguir com tenacidade o que se sonha é o melhor caminho para a sua concretização e para a felicidade.
«Tem nome de perfume». Dele emerge uma fragrância de uma jovem bonita, com odor de felicidade e com um otimismo raro entre os jovens. Tem 26 anos, está a dar cartas no mundo da moda na área da fotografia e da publicidade. Nos entretantos trabalha como animadora de turismo.
Mas o que nos faz sentá-la à mesa deste banquete, radica, não porque seja uma estrela a brilhar no mundo do glamour, mas a forma como fala, a sua mensagem e exemplo tão positivo para os mais jovens. É este perfume que transmite o melhor aroma do mundo.
Anaïs Pinto diz que primeiro aprendeu a gostar de si, porque se achava horrível, mas alguém lembrou que se pode inverter esse estado de alma negativo e fez o clic para que o pensamento passasse a ser positivo, dá o mesmo trabalho e gasta-se o mesmo tempo.
A seguir aventurou-se para fora de casa dos pais aos 19 anos, «queria abrir os meus horizontes, ser independente e guiar a minha vida». O essencial «de um bom modelo é a atitude», Porque, «quando não estamos à vontade, transmitimos insegurança e isso quebra a força da mensagem», Por isso, há um segredo que a modelo Franco Portuguesa revela: «o segredo é trabalhar sempre em equipa». Coisa difícil quando se é jovem. Mas fica a pertinência da mensagem, visto que os tempos que correm cheios de egoísmo acusam cada vez mais a necessidade de procurarmos caminhos novos e alternativos juntos. Uma luz que é sempre importante lembrar, um por todos e todos por um. Devia ser o lema da juventude.
Já foram os vários trabalhos realizados, daí que já possa dar-nos este interessante testemunho: «Sinto-me orgulhosa e realizada por fazer o que me faz feliz, mas em nada muda a minha personalidade. Considero-me uma pessoa simples, lutadora, trabalhadora, que gosta de rir, de conviver e não há necessidade de mudar quem sou». Tão bonito e cativante. São imensos os jovens que andam por aí em atividades inúteis, deambulam abúlicos e dolentes sem que transmitam alegria de viver e muito menos se empenham hoje na construção do seu futuro. Tomem a sério este exemplo de Anaïs Pinto.
Por fim, revela que os grandes amores da sua vida são os pais e os irmãos, não esquecendo os amigos, para dar-nos a seguinte lição: «Sozinha não se chega a lado nenhum e graças a todos eles foi possível chegar até aqui. Escolhi um trabalho que obriga a esforços e sacrifícios, mas vale a pena porque só assim eu sou feliz». Bem hajas Anaïs Pinto não só pela tua beleza exterior, mas mais do que tudo pela tua enorme riqueza interior que deixas transparecer nesta conversa com a Sandra Ascensão Silva e que nós nos deliciamos a ler.

Sem comentários: