Convite a quem nos visita

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Os velhos hospitais e o novo hospital do Funchal


Alguns estão em grande festa porque afinal o Governo da República vai dar uma oferta que chegará a 50% do custo total do novo hospital do Funchal. A oposição recolhe os louros dizendo que é graças à sua insistências nas negociações da especialidade do Orçamento para 1017. O Governo Regional da Madeira, limitou-se a dizer que era pouco e que pretendia que a oferta atingisse 80%. Muito bem. Cada um faz o seu papel.
Será que vamos estar outra vez perante um logro? Mais uma investida grave da cultura do betão contra o bem estar das pessoas? - As notícias de milhões são gordas e as manchetes saltam à vista. Mais ainda fazem alguns pensarem e caminharem na ilusão que darão muitos votos e vitórias eleitorais. Tem sido assim, infelizmente, falta provar se vai continuar...
Quanto a este feito para o novo hospital, como cidadão fico feliz e devo exigir que o Governo Regional dê voltas ao mundo, como gosta de fazer, para conseguir o restante financiamento para o novo hospital. Mas, gostaria também de ver o mesmo empenho para que tivéssemos um bom funcionamento dos hospitais velhinhos que temos e nos outros locais pertencentes ao Estado que albergam as nossas pessoas idosas.
Uma mão cheia de milhões de euros fazem uma grande notícia na comunicação social, mas também devia fazer uma grande notícia os idosos ficarem para ali horas e horas mergulhados no xixi da noite, também deveria ser uma grande notícia ficarem as pessoas horas e horas nas urgências a se contorcerem de dores votados à maior indiferença, deveria ser uma grande notícia não existir comida, medicamentos e roupas adequadas ao serviço dos doentes. Tudo isto sem ter que voltar a falar das listas de espera que fazem desesperar as pessoas por uma consulta ou uma cirurgia. Quantas pessoas poderiam ser salvas se fossem atempadamente atendidas…
A desgraça é tanta que logo após aquele momento de alegria sobre a oferta da metade do hospital novo do Funchal, comecei a pensar que somos todos uns tolos e estupidificados com estes joguetes terceiro mundistas entre os partidos políticos.
Logo a seguir aparece uma foto ou um comentário indignado no facebook sobre um mau serviço nos hospitais atuais e lá vamos nós comentar e cuspir canivetes sentados em casa à frente de um ecrã ou carregar com prazer sobre a palavra gosto ou desenhar um bonequinho com cornos e os dentes afiados. É esta lógica que nos guia e que vai legitimando todos os desmandos de políticas irresponsáveis contra os cidadãos em geral em benefício das clientelas partidárias.
Enquanto andarmos nisto os políticos continuarão neste festim de milhões de euros em nome do sacrossanto betão armado, mesmo que falte tudo quotidianamente falando, onde não devia faltar tudo o que fosse necessário para a qualidade de vida de todos os cidadãos. É isso que a Constituição consagrada e que não devia ser esquecido.
Um novo hospital sim, quando estiverem a funcionar minimamente os hospitais que temos, juntamente com todas os outros lugares onde são acolhidas as pessoas idosas e os doentes dos cuidados continuados.

Sem comentários: