Convite a quem nos visita

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

O sangue de São Gennaro não se liquefez este ano

1. O sangue de São Gennaro ou São Januário, Patrono de Nápoles, liquefaz-se três vezes em cada ano, sempre que tal acontece os crentes aspiram boa sorte. Por sinal, uma dessas vezes, acontece a 16 de dezembro de cada ano. As outras duas, acontece no primeiro domingo de maio e 19 de setembro dia da festa do santo. Este não aconteceu, o sangue manteve-se inamovível. Assim sendo, varre agora um arrepio sobre os crentes que levam o fenómeno muito a sério, má sorte vem por aí abaixo para a humanidade.

2. O mais inquietante é que algumas vezes no passado quando não aconteceu a liquidificação, surgiram desgraças graves para a humanidade. Num determinado momento no passado, não se liquidificando, abateu-se sobre a Europa uma Peste Negra e quando se deu a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, o sangue manteve-se congelado.

3. Mais curioso ainda, foi que no ano passado o sangue de São Januário liquefez-se nas mãos do Papa Francisco, pela ocasião da sua visita a Nápoles, após um discurso forte contra o desemprego jovem e contra a Máfia, que em Nápoles tem grande implantação.

4. Não quero com isto alarmar ninguém. Mas apenas dar conta do fenómeno e se quisermos, alertar para o mundo em que vivemos, onde predominam sinais inquietantes de desgraças por todo o lado. Não precisamos que o Sangue de São Januário se liquefaça ou se mantenha endurecido, para vermos que a tragédia da humanidade continua a marcar o ritmo da vida. Basta mirar com olhos de ver a desgraça de Alepo, na Síria, (nada de mais tenebroso do que ver as imagens de crianças, abandonadas, feridas, em lágrimas e mortas pelo chão), o drama dos refugiados, o terrorismo e a insegurança do mundo… Mais ainda todos os focos de violência por todo o lado, as injustiças, a desigualdade, o desemprego e a pobreza. Sem contar com a calamidade da propaganda, da caridade fingida e instrumentalizada, os ódios de uns contra os outros, a falsidade que engana meio mundo, as divisões familiares, as crianças alimentadas com valores falsos tipo presentes à pai natal e tudo um conjunto de dramas que conduz a humanidade para a desumanidade.  

5. Oxalá que a humanidade aprenda a ler a realidade e que aprenda que toda a desgraça diz respeito a todos e que cada um pode dar um bocadinho de si para minorar o sofrimento daqueles que estão à sua volta.

Sem comentários: