Convite a quem nos visita

sábado, 17 de dezembro de 2016

Um Natal como se fosse hoje

Porque já vai sendo Natal... Sejam felizes sempre, nunca prejudicando ninguém.
Aquele Menino Deus
com olhar terno e suave
chora sem palhas e sem panos
ali no meio dos escombros
da indiferença
e do ódio,
foi despojado 
não tem patrono
nem luz nem mãos de sua mãe
que levante aquele corpo rei
nu e sujo pelo pó do abandono.

Os "Herodes" de hoje e seus grilhões
também não querem saber de estrelas
matam crianças aos milhões,
as hospedarias fecharam sem jus  
jazem cheias de ganância e de egoísmo
Não há lugar para Jesus!

A história conta que há porém
um Menino Deus que dorme
é a ternura desejada pelo sorriso
é a serenidade na ponta dos dedos frios
nas barbas do poder
que não o encontrou
está cego o seu olhar sem compaixão
são os poderosos confundidos na vaidade
gritam não pode ser
um Deus nascer na maior simplicidade.

Mas é real
a frieza de uma gruta naquele além
testemunhou Belém para os séculos
e até vimos por toda a parte
a notícia que nos satisfaz
nasceu para sempre o sinal divino
Jesus é a paz!

As estrelas falam com amor
sobre o Mestre do sonho
de que todos somos Magos Reis
que pela visita são humanidade universal
no presépio que se constrói entre o céu e a terra
engalanado pela luz dos corações
Onde está Jesus?
- tão simples e pequenino
se é gesto, se é palavra, se é pão, se é casa, se é roupa e se é paz
tudo se bem vivido
ao mundo inteiro satisfaz.
JLR

Sem comentários: