Convite a quem nos visita

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Denúncia contundente de Meryl Streep

Vai ser um discurso que nos vamos lembrar muitas vezes. Por isso, aqui fica como registo para que nos lembremos dele usando for necessário e para que a ele voltemos sempre que o trapaceiro do Trump na América fizer das suas como promete. Os ventos que passam não auguram boas novas positivas, que tais sinais nos enganem, é o que mais desejo.
Eis uma grande mulher, eis uma belíssima atriz que levantou a voz para dizer o que pensa com coragem, confrontando o seu povo Americano mergulhado numa das suas maiores incertezas. Coisa que não é pouca, se considerarmos que esta inquietação pode contaminar o mundo inteiro e isso será terrível para todos nós.
Subiu ao palco com lágrimas nos olhos e a voz embargada. O Globo de Ouro Honório que Meryl Streep recebeu aos 67 anos de idade é o nono de uma carreira que, resumida num vídeo, fragmento a fragmento, impressiona e deslumbra.
Primeiro pediu perdão por hesitar, abriu um papel e, quando começou, esqueceu-se dele e, ainda bem, porque pronunciou o discurso mais interessante e profundo da noite: Hollywood se fez com estrangeiros. Sem citar o nome do neo presidente Donald Trump, recordou o momento em que o futuro ocupante do Sala Oval zombou de um jornalista com deficiência física e declarou desassombradamennte que se é o poder que abusa dos fracos, todos os demais o imitarão. Por isso, lembra que "A falta de respeito incita a mais falta de respeito. A violência, a mais violência”.
Todos vamos seguramente nos lembrar futuramente deste discurso e desta mensagem feliz da grande atriz Meryl Streep. Quem desejar ver o vídeo na íntegra pode abrir AQUI.

Sem comentários: