Convite a quem nos visita

segunda-feira, 6 de março de 2017

Somos vítimas da mediação do negro

1. Somos vítimas do martelamento da comunicação social em geral. Um telejornal é um bombardeamento essencialmente de más notícias. O gosto mórbido pelo negro. Todos o apreciam e ninguém pode gabar-se que está imune a esse gosto.

2. Tantas vezes tenho a sensação que se as notícias negativas faltassem não havia nada para dizer. Um drama que faz enfermar e morrer todos os dias o melhor que a humanidade tem, a capacidade de comunicar a verdade com honestidade.  

3. Nunca como hoje a humanidade foi tão agredida. Todas as horas do dias somos literalmente bombardeados com anúncios maus, que nos mostram sangue, mortos, feridos, escombros e tudo o que vai acontecendo de pior no mundo. Vale ainda salientar que as coisas acentuam-se particularmente às horas da refeições, facto que me faz inquietar ainda mais. Nessa hora da partilha do pão e do convívio familiar, chega também a avalanche dos alarmes do horror das guerras e os estrondo das armas dos terroristas.

4. Alguns podem derrotar esta reflexão com a ideia de que temos de saber das coisas e dos acontecimentos, é verdade que sim. Pois, pior ainda será que andemos alienados do que se passa à nossa volta, não podemos tapar os olhos e os ouvidos quando outros semelhantes a nós perto ou longe sofrem. Porém, o que salienta à vida e aos ouvidos também é que as notícias acarretam sempre uma desproporção entre o que é positivo e o que é negativo. Uma bomba que rebenta em qualquer parte do mundo sempre vai consumir mais horas de comunicação social do que o remédio que algum cientista tenha descoberto para minorar a dor ou curar alguma doença. Os fracassos da humanidade despertam mais atenção do que os êxitos e é nessa questão que gostaria de colocar esta minha reflexão ou a minha pergunta: porque tem que ser assim?

5. Também alguns justificarão que a sociedade continua a preferir o negro ao branco, os fracassos aos sucessos e a escolha entre o bem e o mal recai sempre no que de pior acontece. Os programas que as televisões têm nas manhãs e nas tardes são também preenchidos com o que há de pior da vida humana. Eles são violações, roubos, assassinatos bárbaros e toda uma panóplia de acontecimentos cada um pior do que o outro, para que se permita depois comentar, fazer directos e explorar ao máximo toda a envolvência das tragédias ou do pior que a humanidade produz.

6. A comunicação social tem o dever de informar, certo. Mas, também tem o dever de educar, elemento frequentemente esquecido pelos agentes da comunicação social. A desproporção entre branco e negro, entre leve e pesado, entre bem e mal, induz as mentalidades em geral para o pessimismo e para o catastrofismo. Hoje a mentalidade geral é negativa e as pessoas olham o futuro com pouca ou nenhuma esperança. Por isso, tal comportamento não permite o melhor que a sociedade devia ter, a bondade e a felicidade. Infelizmente, são cada vez mais os passos que temos que dar para encontrar tais valores à nossa porta. A mediação do negro tem feito o seu caminho e cada vez será pior se entretanto não acordarmos.

Sem comentários: