Convite a quem nos visita

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A seara é grande faltam trabalhadores

Domingo XI tempo comum...
1. No tempo em que vivemos parece não existir tempo para acudir a humanidade que Deus criou. Por isso, foi mais fácil começar a dizer que «Deus morreu», para que muitos se demitissem da realidade e não terem que aceitar a presença de Deus na vida e no mundo concretos. Mas antes uma realidade das «manias» de alguns que se entretêm com ilusões. No entanto, é preciso também reconhecer que Deus não está ausente de nenhuma situação da vida concreta. A história da humanidade é a história de Deus. Não é Deus que se afasta da comunhão e do amor, mas é a própria humanidade que entretanto cria e recria os seus deuses, se desviando dos caminhos do bem para trilhar outros caminhos que conduzem ao ódio, à guerra e a todo o género de violências que fazem vítimas inocentes todos os dias. A auto suficiência não é boa mestra, isola e conduz aquele que se isola à sua própria destruição e à do mundo à sua volta. 

2. Como vimos no primeiro ponto, descobrimos que há uma seara grande e que todos os «trabalhadores» serão sempre poucos para dar resposta a todas as necessidades. Mas, ninguém pode ficar indiferente ao que o rodeia, deve sentir-se convidado ou chamado a tomar a peito uma causa e fazer valer que pode ser possível «trabalhar» em função do bem comum, não deixando ninguém excluído da mesa da amizade, do pão e da paz. As propostas de Deus interpelam-nos e interferem nas nossas opções, mas não nos travam as decisões de acordo com o interesse da vida inteira. As indicações de Deus não colidem com os interesses pessoais, mas antes devem ser uma luz para que nos empenhemos verdadeiramente no «trabalho» da missão.

3. O Jesus que passa, olha, olhos nos olhos e convida a «entrar» na aventura do serviço do cumprimento dos nossos deveres com dedicação e responsabilidade. É assim que se está ao serviço de Deus. A missa de cada pessoa, no seu canto concreto, deve assumir o compromisso do testemunho da compaixão, do perdão, sempre ao serviço da paz e da vida que sorri para todos. A seara é grande, todos são chamados a participar com dedicação, seriedade e honestidade na construção de mundo onde todos possam alegrar-se todos os dias. Nada melhor para Deus fazer valer a sua presença.  

Sem comentários: