Convite a quem nos visita

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Deus e eu

Rubrica «Deus e eu», esta semana com o Flávio Matta. Obrigado Flávio por teres aberto a sala do teu coração para que Deus entrasse e nós com Ele...

Não consigo imaginar a minha vida sem Deus. Preciso d’Ele para viver em harmonia comigo próprio e com os que me rodeiam. Preciso d’Ele para conhecer-me e aperfeiçoar-me, cada dia mais, como ser humano, seja na minha condição de pai, esposo, filho, colega ou amigo.
O Rei Salomão dizia que a vida é uma dádiva de Deus. Logo, como poderemos viver sem Ele? Como poderemos usufruir desta dádiva na sua máxima plenitude se não O tivermos lado a lado connosco? Não é possível! Viver com Deus não significa que tenhamos de viver alheios às provocações do Mundo como muitos poderão pensar, antes pelo contrário. Se a nossa Fé for forte, nada devemos temer, independentemente do tamanho das tentações. Se Deus estiver em nós, nada nos desviará do rumo que nos conduz a casa d’Ele.
Numa sociedade que se depara com inúmeras tentações e em que o conceito de moral e o de bom senso é, muitas vezes, apelidado de caduco e ultrapassado, reconheço que não é fácil dar testemunho da presença de Deus na nossa vida, como companheiro do nosso dia a dia. É assim que O vejo: não alguém pronto a castigar-me mas Alguém que me ajuda a não errar e que me fortalece quando perante determinados obstáculos desistir seria a saída mais fácil.
Sempre que os nossos amigos visitam-nos em casa, temos a tendência de recebê-los na nossa sala, que é o lugar mais nobre da nossa habitação. Então, porque é que não fazemos o mesmo com Deus na nossa vida? Se o lugar mais nobre em cada um de nós é o nosso coração, saibamos convidá-Lo a entrar e a permanecer connosco todos os dias. E quando a vida nos correr menos bem, saibamos ir ao encontro d’Ele e pedir-lhe aquela luz que ilumina o nosso Caminho. Deus sabe o que é melhor para cada um de nós mas deu-nos a liberdade de escolhermos tê-lo ou não connosco. Eu decidi tê-lo!

Sem comentários: