Convite a quem nos visita

sexta-feira, 1 de junho de 2018

A lei que liberta

Pão quente da Palavra. Domingo IX tempo comum
1. Este domingo dá-nos conta de um episódio que se reveste de uma actualidade muito importante para nós, o poder da lei e a força da lei. Para que serve a lei? - Para no entendermos e ser possível a convivência social, para que o respeito e a «obediência» à lei, promova a libertação e a dignidade da humanidade. E ponto. Jesus é muito claro, a lei é para o homem e não o homem para lei. Se ela não serve, porque não liberta, mas oprime, deve ser violada e por fim alterada. A acção de Deus obedece sempre a este princípio, as suas ações são sempre criadoras e redentoras para com o seu povo. Quando não é assim não faz parte do plano de Deus, mas do fundamentalismo e da desordem humana que se serve de Deus para se impor e gerar dominadores contra dominados. Deus é sempre contra isto.
2. As interpretações rigoristas da lei geram injustiças. A lei assim tomada deixa de cumprir a sua missão e de estar ao serviço da humanidade. Jesus convida-nos a obedecermos a leis que nos coloquem ao serviço dos que precisam de ajuda, porque nada devia conduzir ninguém à escravidão. As desigualdades tanto ontem como hoje são gritantes e as regras que proliferam por esse mundo são geradoras de escravos. A lei verdadeira está no coração de cada pessoa, quando essa lei é esquecida ou violada, a desigualdade e a injustiça toma conta da vida e faz descambar o mundo para a desgraça do sofrimento.
3. O grande São Paulo dá-nos conta da coragem que deve assistir-nos, como homens e mulheres, mas, especialmente, como cristãos. Quem evangeliza ou quem sonha com um mundo melhor, reveste-se da luz de Cristo, por isso, deve fazer-se visível no meio do mundo e anunciar a Boa Nova da fraternidade e da amizade, que o Evangelho de Cristo anuncia e reclama. Apesar dos desafios e das fragilidades que encontramos e que a condição de sermos humanidade nos oferece, o conteúdo da mensagem não se perverte, porque é a única riqueza que vale a pena, porque emana desde sempre do poder de Deus. Nenhuma mediação humana a pode apagar, é mais forte do que todas as limitações deste mundo. É pão espiritual que sacia os que a seguem e luz que ilumina as trevas do ódio e da morte que este mundo teima em semear por todo lado. Confiemos sempre que nada está perdido irremediavelmente. Mas do ponto de vista de Deus tudo tem remédio e solução. Por isso, lutemos… 

Sem comentários: