Convite a quem nos visita

sábado, 26 de maio de 2018

Consagração

Ao sétimo dia
Via rochas vivas felizes
nos penhascos do meu pensamento
numa hora divina noutra humana
naquele cruzamento misterioso
que só uma anunciação milagrosa 
soube fazer eternamente
no meu coração renovado.

Na crista de uma onda consagrada
no momento do baptismo do amor
fundiram-se o sorriso e a dádiva
pão amassado pelas mãos maternas
do sentido que encontrei
numa visão no centro de uma mão amiga
que a aproximação desvelou para sempre
na maçã descascada e alva
que a boca saboreia dentada à dentada. 
JLR

Vamos rezar juntos

nada é mais injusto do que julgar e condenar, ainda mais se os juízos condenatórios têm como norma e medida a referência a pessoa que se faz juiz e guardião dos pretensos "bons costumes morais". Bem lutou Jesus de Nazaré contra este estado de coisas ou feroz tentação que acompanha a humanidade. Esta tendência tão comum em muitos lugares da vida e da nossa sociedade, precisa de ser corrigida. Os fariseus de todos os tempos não dão tréguas e pouco se importam com as vítimas dos fardos pesados que impõem aos outros. É preciso aprender que entrar no mundo dos "outros", não deve implicar falta de respeito, imposição moralista e qualquer outra forma de violência física, espiritual e psicológica. Os outros são a maior graça que temos para acolher e quando necessário amar desinteressadamente. Eles não pedem moralismos, sentenças morais e juízos injustos, mas antes diálogo, compreensão, compaixão e perdão. Todos precisamos de todos. Lutar contra as causas que minam a fraternidade deve ser uma preocupação de todos os dias.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Sinfonia divina a três mãos

Quem é a santíssima Trindade? - Quando falamos da Santíssima Trindade, é do nosso Deus que falamos. E quer dizer essencialmente «três». O Deus dos cristãos é trinitário, isto é, constituído por três pessoas: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. O Deus Filho, é o Deus enviado pelo Pai, re-vela o Pai plenamente e envia o Espírito Santo, que é o resultado do amor entre o Pai e o Filho. Isto é, mostra-nos o rosto verdadeiro do Pai. Um Pai amoroso que não desiste de salvar toda a humanidade (podemos lembrar aqui a famosa Parábola do Filho Pródigo).
O Filho foi enviado pelo Pai para anunciar a Boa Nova da justiça ou da salvação de toda a humanidade, Ele é o rosto visível do amor que informa a Trindade. Será da boca do Filho que recebemos a promessa do envio do Espírito Santo, o outro Deus da Trindade. Nesta realidade misteriosa somos tudo com todos, porque «ninguém está apenas para si no mundo, está nele também para todos os outros» (Gregório de Nazianzeno).
Este Deus, o Espírito Santo, é Aquele que vem depois de Jesus para acompanhar todas as Ações humanas em favor da causa de Deus. Ele é o Espírito da verdade e da justiça. Ele nos guiará para a verdade plena. Porque o Espírito Santo pode ser definido como aquele que unifica as três pessoas da Trindade, Ele é o nome do amor de Deus. Um caminho que segundo Santo Agostinho se traduz desta forma: «O caminho é estreito e difícil para aquele que caminha por ele com pena de si e tristeza; porém é largo e fácil para aquele que caminha com amor».
E são Basílio deixou bem claro que não existe outro Deus, senão esse que se traduz na prática da vida e na realidade concreta do caminho. Diz assim: «Pertence aquele que tem fome o pão que tu guardas; àquele que está nu a capa que tu conservas nos teus guarda-vestidos; àquele que está descalço, os sapatos que apodrecem em tua casa; ao pobre o dinheiro que tu tens guardado. Assim tu cometes tantas injustiças quantas as pessoas às quais poderias dar». Um pouco duro e inquietante. O Deus misterioso desafia-nos à prática da partilha todos os dias da nossa vida e a lutar por um mundo mais justo e fraterno.

Vamos rezar juntos

tantas vezes somos confrontados com provocações, incitamentos, seduções, estímulos para cair no mal contra nós próprios e contra os outros. Todos nós passamos por isso, uma grande parte das pessoas livra-se dessas investidas, outra assim assim, mas uma grande parte, infelizmente, não se livra e acaba caindo, prejudicando-se gravemente e prejudicando seriamente os outros. Daí os frequentes escândalos e o clima de violência em que anda o nosso mundo. Temos que procurar com toda a dedicação, superar as injustas diferenças, a dolorosa exclusão e a violência da pobreza. Por isso, todo o esforço nunca deve ser considerado demais, para vencermos as inclinações e as paixões que dificultam a paz e a felicidade. Nenhum poder tem futuro se não for serviço desinteressado, porque, seguramente, vai cair na exploração sem escrúpulos. Este caminho não conduz ao bem, mas aos escândalos e às graves injustiças. 

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Vamos rezar juntos

ter fé o que é? – Nada de especial e muito de especial. Nada de especial, porque não está como inscrição garrafal na testa de quem tem fé. Muito especial, porque deve fazer daquele que crê uma pessoa diferente, quer dizer, é uma pessoa alegre, corajosa e não se fixa no passado trágico, mas no futuro que crê ser sempre cheio de coisas boas. Todos sabem que a fé move montanhas. É assim porque nada está perdido diante das realidades negativas, sempre dias melhores estão para vir, por isso, apesar da vida não correr bem não faltam motivos para sorrir. Ter fé revela que na escuridão a confiança não esmoreceu e a esperança não se apagou na vida nova que está para vir. Ter fé é viver numa atitude de gratidão pelas coisas boas. A fé faz mover a vida e dá coragem para dar passos seguros, mesmo que o abismo esteja perto, mas sempre acredita que não vai cair. A fé é um abrigo para a vida nos piores dias e a certeza que as tribulações não sairão vitoriosas.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Um poio de erva no coração da cidade do Funchal

Este poio de erva no coração da cidade, impressiona pelo verde deslumbrante. Porque não se faz disto um subterrâneo visitável convenientemente, e a parte superior um estacionamento ou outra coisa qualquer que desse beleza a esta zona da cidade. Tudo seria bem melhor além disto que se vê e que estão a ver os turistas que devem ficar maravilhados com este desleixo e estado de abandono de uma zona nobre da nossa cidade. O proprietário deste campo de erva de luxo é a Direcção Regional do Turismo. Apreciem as fotos que começa com esta inscrição - «Quem olha para onde todos olham não vê nada» - na parede do edifício da antiga Companhia Insular de Moinhos, que as vozes anunciam vir a ser um hotel. Porém, para aqui todos olham e podem ver claramente a lástima em que está o Largo do Pelourinho na cidade do Funchal.

Vamos rezar juntos

a humildade é uma realidade maravilhosa, quando assumida e expressa com toda a sinceridade e naturalidade. O artificialismo neste domínio roça o enjoativo e percebe-se logo quando a humildade é falsa. Todos nós somos humildes, porém, o que acontece é que não somos capazes de manter essa qualidade em todas as ocasiões da nossa vida, por isso, nalguns momentos, acontece que sobressai a imodéstia e a falta de simplicidade. Daí se concluir que todos somos humildes, mas todas pecamos seriamente contra a humildade. Também é certo sim, que muito mal andamos quando não assumimos a modéstia e a simplicidade, as irmãs da humildade, que se forem vividas em comunhão, fazem com que nós tratemos os outros com a dignidade que merecem. O humilde é sábio, porque não passa por cima do respeito e da atenção devida para com o seu semelhante. Não esqueçamos, os humildes são as pessoas mais fortes, porque reconhecendo as suas limitações, os fracassos, os seus sucessos e virtudes continuam a acreditar que ainda não terminaram, precisam de se aperfeiçoar mais, lutar mais, estudar mais e trabalhar muito para alcançarem aquilo sonho inacabado da vida. Podemos começar pelo seguinte exercício, ninguém é mais nem melhor do que ninguém.