Convite a quem nos visita

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Comentário à Missa do próximo Domingo

XXVIII Domingo Tempo Comum
11 de Outubro de 2009
Nem tudo o que luz é ouro
As escolhas. Saber escolher é também um grande desafio que Deus nas leituras deste Domingo nos coloca diante do pensamento.
A primeira leitura faz alusão aos bens mais apetecidos deste mundo, poder, riqueza, fama, aplausos, saúde e beleza. Sobre isto rezava Gandhi: «Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos débeis». O mais cobiçado deste mundo, está cheio de brilho, porém, não é perene nem coloca a vida no horizonte da plenitude.
No segundo texto, apredemos que a Sabedoria da vida está no acolhimento da Palavra de Deus, que sempre nos guia para o bem. Ela é a grande riqueza que importa acolher, porque o ensinamento de Deus indaga, ilumina, orienta para o sentido da eternidade.
O Evangelho, coloca diante de nós dois horizontes, a felicidade e o perigo das riquezas. Podem ser conciliáveis estes dois caminhos, mas quase sempre um não é sinónimo do outro. Assim, o perigo das riquezas ameaça a todos, sem excepção. O caminho da felicidade também é possível para todos. Desta forma, consideramos que os cristãos devem ser uns maltrapilhos, uns pobretanas porque dessa forma serão felizes e salvar-se-ão? - Nada disso, Jesus faz o convite para que cada um O acolha e escute a Sua mensagem e com isso, lutar pelos bens em função do bem-comum. Por esta via serão felizes e saberão o que é a vida plena e eterna. Caso entrem pelo caminho do egoísmo e da ganância, acolhem a felicidade momentânea e nunca saberão o que é a vida eterna. A escoha certa é importante para a verdadeira felicidade, mesmo que não seja o mais brilhante logo à partida. Deus quer-nos felizes, vamos escolher bem.

2 comentários:

Susana Ramos disse...

Sabe, senhor padre, tem momentos que eu penso que o senhor, intuitivamente lê os meus pensamentos.
É bom saber que alguém com a sua formação tem a mesma mundivisão que eu.
Assim, já não me sinto tão só na minha forma de pensar, que por vezes se confunde com ser reaccionária ou conservadora e outras com irreverente...
Afinal, eu só pretendo amar os outros, amando-me e tendo Cristo como meu único modelo.
Um abraço.
Gosto de si!

maria teresa s. t. góis disse...

Apenas menciono uma frase que hoje li, que interiorizei, e que talvez se coadune nesta linha de pensamento.
"Amei a Sabedoria mais do que a saúde e a beleza e decidi tê-la como luz".(Livro da Sabedoria)