Convite a quem nos visita

quinta-feira, 19 de março de 2009

O Uso do Preservativo

Os números do Sida são muito alarmantes. O consumo das drogas ilegais, todas as drogas injectáveis, o desregramento sexual e a pobreza material estão a provocar um número muito elevado de pessoas contaminadas com o vírus do Sida. Uma grande parte da sociedade, considera que a solução do problema passaria pelo incentivo ao uso do preservativo nas relações sexuais, tendo em conta que uma das formas de contaminação da doença acontece através da sexualidade. No entanto, a grande dificuldade para a Igreja reside exactamente aqui, na questão do uso do preservativo. Porque este será sempre um impedimento para a vivência de outros valores, tais como a castidade e a fidelidade às opções e aos compromissos. Porém, as relações sexuais de risco são um mal da sociedade, sempre fizeram parte da história humana, ou seja, a prostituição segundo consta é a “profissão” mais antiga do mundo e está a tomar proporções terríveis. Ao colocarmos a questão neste patamar, já está mais que dito que o uso do preservativo será um mal menor e a recusa do seu uso por alguém que se saiba contaminado incorre em pecado grave contra o seu semelhante. Deste modo, a Igreja defende o seu uso como mal menor, isto é, não havendo outra consciência sobre os comportamentos seria absurdo e irresponsável opinar de outra forma para essas situações pontuais. Assim, está provado que as relações sexuais de risco podem propagar a epidemia. Um meio simples de a travar seria a mudança de comportamento e a abstinência. Porém, ainda não é possível implantar no coração humano ou convencer os homens para essa consciência. A Igreja com base nesta visão do problema coloca-se na seguinte convicção: o Sida, é uma doença mortal e o perigo do seu contágio é alarmante. O uso do preservativo, aparece como mal menor, pois, reduz o risco de contaminação. E contra isso ninguém devia estar contra, até mesmo o Papa.

1 comentário:

Sofia Araújo disse...

Cá estou eu, como prometido há algumas semanas após o inquérito telefónico, para comentar este texto do meu novo Amigo.
Antes de mais, permita-me que lhe diga que já há algum tempo que venho ao blog, e gosto muito do modo como escreve os seus textos. No entanto só agora tive tempo de comentar, e diga-se de passagem que este texto em especial captou a minha atenção.
Como já lhe tinha dito anteriormente, gosto do seu modo de pensar e concordo com muias das suas perspectivas.
E mais uma vez isso acontece com o 'uso do preservativo'. Concordo consigo quando diz que será difícil convencer os homens a mudarem os seus hábitos e o mais importante sem dúvida é evitar que a Sida se propague, apesar de a Igreja ser contra o uso do preservativo.
Assim,resta-me uma única dúvida, não deverá a Igreja adaptar-se às novas realidades sociais?
Fico por aqui com esta dúvida. Continue a escrever.
Tudo de bom para si ;)